"Pra você"

Atenção: o envio diário dos textos “Pra você”  foi encerrado em 31 de julho de 2020, sexta-feira, quando as celebrações presenciais foram retomadas de forma limitada. Após essa data os mesmos são enviados esporadicamente.

     Neste tempo Quaresmal, mas, de Campanha da Fraternidade: “Vida, Dom e Compromisso”, e, infelizmente, também neste tempo de pandemia, quero me propor, inspirado na recente reunião do CPP – Conselho Pastoral Paroquial,  a partir de hoje, enviar, sempre que possível,  uma mensagem para sua reflexão. Leia, medite, compartilhe – o máximo que puder. Queira Deus, possa esse pequeno instrumento nos ajudar nessa caminhada!
                                                                                  Pe. Rogério

Carmo de Minas,

Cidade acolhedora,
com quem aprendeste receber e cuidar tão bem daqueles que vêm de longe e
tão pouco trazem?
Cidade fiel,
de quem aprendeste a ter uma fé viva e fecunda, capaz de se manter de pé
mesmo nas dificuldades e revezes pelos quais o ser humano frequentemente passa?
Cidade generosa,
de quem aprendeste fazer tamanha caridade, cuidando de pessoas e famílias como
irmãos e irmãs de uma mesma casa?
Cidade missionária,
de quem aprendeste enviar teus filhos para outras terras, rincões e países,
tão diferentes de ti?
Sem dúvida foi com tua padroeira, a mulher que Deus mesmo escolheu por mãe de seu filho, aquela que esteve presente em Nazaré, Ain Karim, Jerusalém e no monte Carmelo, com seu esposo José, sua prima Isabel e com Frei Simão Stock, mas, sobretudo,
com Jesus, ainda pequeno e adolescente e, mesmo depois, adulto.
Permanece conosco, Mãe. Mesmo que alguns a desprezem, outros a ignorem.
São tão poucos, e teu amor, sabemos bem, é muito maior que tudo isso.
Somos todos filhos, ainda muito imaturos e vacilantes.
Fica conosco, pois foi com tua presença que aconteceu a ressurreição de Jesus,
o dia de Pentecostes e a expansão da ordem do Carmelo
quando tudo parecia terminado e sem perspectivas.
Faz com que sejamos ainda melhores. Intercede a fim de que possamos fazer tudo o que teu filho disser.
Sê nossa mãe, companheira, amiga e confidente.
Neste dia queremos agradecer teu exemplo, tuas palavras, teus ensinamentos, tua presença.  Olha por nós que ainda queremos crescer tanto. Olha por nós que queremos prosseguir na caminhada e chegar até o cume do Monte Carmelo,
que é teu próprio filho Jesus.
Amém!

Pra Você 17

Domingo de Ramos

Mt 21, 1 - 11

  1. O Evento

Jerusalém era a capital de Israel no tempo de Jesus. Ali, o Messias foi hostilizado pelas autoridades religiosas e civis, por medo, ciúmes e insegurança,  em oposição à Galileia, onde, pelo menos em parte de sua vida pública, havia sido acolhido, “seguido por multidões”.

Era o mês de Nisã (entre março e abril). Início da Primavera. O mestre entra nessa cidade, junto com tantos outros, para a festa da Páscoa. Porém, não devemos ter a impressão de que toda a cidade se mobilizou com o evento, mas apenas parte de seus discípulos e parte de curiosos.

Ele está montado num jumentinho. Gesto forte e simbólico: de paz e despojamento.

Dali não mais sairá. Será denunciado e acusado, depois, sofrerá sua paixão e morte. É também em Jerusalém que ressuscitará.

  1. Consequências 

Quando tivermos dúvidas sobre o alcance e a extensão do amor de Deus, iremos nos lembrar desse episódio. O quanto Ele nos ama, e até onde vai sua fidelidade em relação à Aliança que fez com a humanidade.

Jesus é um “não-violento”, isto é, não agride, não ofende, porém, não abre mão de seus ideais e de seu projeto de vida e missão.

       Durante todos os dias que passou na Cidade Santa foi o protagonista. Homem livre, senhor absoluto da história.

Quando tudo parecia perdido, Deus se fez salvação. Quando aquele homem aparentemente se mostrou fraco, ele possibilitava toda a humanidade se libertar da escravidão. Tão preso, tão livre.

  1. Hoje

Celebrar a entrada de Jesus em Jerusalém é muito oportuno.  É um convite para que olhemos o passado e o presente, e nos perguntemos sobre nossos projetos e sobre nossa fidelidade e perseverança em relação a eles.

  1. Para refletir

O que Jesus me ensina no episódio de sua entrada em Jerusalém?

Onde busco forças para realizar meus sonhos, minha missão?

Quem são os parceiros em minha caminhada? 

Sinto desânimo quando as coisas não acontecem como estavam previstas?

Pe. Rogério Ferreira

Pra Você 16

“O sepultamento de Jesus”

Há duas categorias de sepultamento:

Daquilo que está vivo – sentimentos, pessoas, situações,

e daquilo que faleceu – o que cumpriu sua missão.

O primeiro é também conhecido como recalque.

Simplesmente querer esquecer, e pôr uma pedra em cima,

Fingir que nada aconteceu.

Infelizmente, quando isso ocorre, surgem fantasmas.

Algo que nos atormenta e persegue,

Onde quer que estejamos,

Dando-nos uma sensação de insegurança e instabilidade.

O segundo é também conhecido como entrega.

Simplesmente acreditar que Deus está presente, e retirar a pedra,

Saber que Ele é o maior em qualquer  circunstância.

Felizmente, quando isso ocorre, surge a paz.

Algo que nos conforta e fortalece,

Onde quer que estejamos,

Dando-nos uma sensação de segurança e estabilidade.

Ser realista. Enfrentar o luta na luta.

Jamais sentir-se desamparado, e prosseguir.

Maria optou pela segunda forma.

Sabe que Deus é Senhor dos vivos e não dos mortos.

Sabe que seu filho é ressurreição e vida.

A entrega não elimina a dor. Ajuda superá-la.

Assim, tão humana, tão divina.

Pe. Rogério Ferreira

Pra Você 15

“A deposição da cruz”

Semanticamente,

“Culto” está associado à ideia de passado,

“Cultura”, a de futuro.

Porém,

Ambos os termos derivam da mesma raiz:

“Colo”,

Que por sua vez remete à ideia

De presente, de transitório.

Um transitório fecundo,

Que dá segurança, e faz nascer.

Depois da cruz, de todo o sofrimento e da própria morte,

O corpo Jesus agora está no colo de Maria.

Daqui a pouco será colocado num outro colo,

O da terra, igualmente novo e virgem.

O trigo não estará sozinho. Irá se transformar.

Assim, Maria é, mais do que nunca, colo,

É o transitório, pois definitivo somente o Pai.

Profetiza uma vida que nenhum mal é capaz de sufocar e ou vencer.

Agora, necessitamos de colo, pois.

Foi para a vida que nascemos.

Precisamos de colo para que

Venha vida depois da vida.

Precisamos do colo da Mãe

Para que o Pai seja

Nossa eternidade.

Pe. Rogério Ferreira

 

Pra Você 14

“A crucificação”

O desapego!

Desafio permanente em nossas vidas,

Único meio de vencer a morte.

Sempre, o tamanho do sofrimento é o tamanho do apego.

Ele pode ser involuntário,

Sentimos que algo/alguém  está sempre nos roubando.

Ele pode ser voluntário,

Fruto de amadurecimento e partilha.

Na última ceia,

Jesus havia dado à humanidade seu corpo e sangue.

Na cruz,

Dará ao Pai seu espírito.

Um pouco antes, deu a João, à Igreja e a toda humanidade a sua Mãe.

Devolve, pois sabe que nada é seu.

Totalmente livre,

Completamente esvaziado de si

Vence a morte, pois ela não encontra nada para tomar.

“Ó Cruz onde está tua vitória?”

Maria

Testemunha tudo, e não se surpreende.

Ouvira tempos atrás

“Não sabíeis que devo estar naquilo que é de meu Pai?”

E, Continua guardando todas essas coisas no coração,

Pois, um dia, a exemplo de seu filho,

irá oferta-lo, inteiro, ao Pai.

Pe. Rogério Ferreira

Pra Você 13

Setenário das Dores: Pra Você – 31.03.20

“O Encontro no Caminho do Calvário”

Ó vós que passais pelo caminho, olhai e vede se há dor comparável à minha dor! (Lm 1, 12)

Dizemos que não temos tempo,

Que não sabemos o que iremos falar e

Que não temos estrutura para conviver, nem mesmo para visitar.

A dor, porém, está presente:

no outro e em nós que justificamos. Qual delas será maior?

A ausência e a solidão doem mais do que qualquer dor.

No encontro, Maria não pode falar, nem mesmo se aproximar,

Mas, estava lá, no silêncio, no olhar. Toda presente.

Com toda sua dor e confiança.

Jesus, palavra do Pai,

Também nada pode falar,

Ele que outrora se dirigira à Samaritana, à Maria Madalena e outras Marias.

Naquele momento

Apenas há troca de olhar.

Deus enobrece o silêncio que o mundo despreza.

Mais do que palavras, o que importa é aquele que fala, aquele que olha,

E aquele que e porque se faz silêncio.

O Cireneu, a Verônica, as mulheres de Jerusalém,

Todos estão presentes, cada qual em sua condição.

Maria está como mulher, como mãe, como filha Bendita do Pai. 

Sempre presente em seu Sim!

Pe. Rogério Ferreira

Pra Você 12

Setenário das Dores: “A perda de Jesus no templo”

Lc 2,41-52 (se puder leia o texto)

 

Completar doze anos era – e ainda é, uma data especial para os jovens judeus.

Último ano como apenas o filho de uma família de sangue,

E, agora, tornar-se filho da lei e da Aliança.

Como a Crisma para nós cristãos.

Como todos os anos a família foi à Jerusalém para a festa da Páscoa,

Como em nenhum outro ano, o menino não voltou para a Galileia.

A chegada da maturidade.

Os pais, em principio, não percebem (o que exatamente?),

Levam um dia para dar falta,

Contudo, o procuram por outros três.

Exatamente como será no dia da ressurreição, na mesma cidade Santa.

Nesse encontro – haverá outros, Maria toma a iniciativa –

Passados os doze anos, caberia ao pai fazer isso.

Como mãe, chama a atenção do filho.

Expressa sua apreensão.

O filho, conscientemente explica o significado de tudo:

“Não sabíeis que devo estar naquilo que é de meu Pai?”

“Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou” (Jo 4,34)

Eles, porém, não compreenderam a palavra que ele lhes falou.

Jesus, então, desceu com os seus pais para Nazaré.

Outra vez: as dores de Deus.

Sua mãe guardava todas essas coisas no coração.

Já, o menino,

Ia crescendo em sabedoria, tamanho e graça diante de Deus e dos homens.

Respeitar a individualidade e o mistério de cada um:

Nada mais difícil, nada mais sagrado.

As dores dos homens!

E Deus? Sempre faz isso (respeita). É sua essência.

Pe. Rogério Ferreira
 

Pra Você 11

Setenário das Dores: “A Fuga para o Egito”

Mt 2,13-18 (se puder leia o texto)

 

José, o justo, meio às dificuldades e dúvidas,

Dorme, e,

Deus se revela no mais profundo de seu sono.

Deus é silêncio, não imparcial. 

É no interior daquele que nada resiste

Que Ele quer e pode falar.

Por sua vez, o filho do Criador, o filho do Pai Poderoso e Misericordioso foge.

São as dores de Deus!

Com ele vai o seu pai e a sua mãe para um país diferente.

  Língua e costumes diferentes.

Deus é sempre o mesmo, as pessoas, não.

Era noite quando a jornada começou.

  As trevas de Herodes, por um momento, dominam,

E afetam aquele que a pouco havia sido proclamado

“A luz do mundo”, “luz para iluminar as nações e glória de Israel, teu povo”.

Mesmo assim, Herodes fica enfurecido

Quando soube que havia sido enganado pelos magos.

Na verdade quer se justificar. É sua consciência que o acusa.

Foi ele quem primeiramente enganara os amistosos visitantes do Oriente.

Herodes morre, a Sagrada Família vive.

Os três retornarão, como outrora Moises, a Israel.

Um novo Êxodo acontecerá.

Não mais por causa de uma terra, mas por causa de um Reino.

Maria, mulher do silêncio acolhe todas essas coisas no coração:

“Felizes os que choram porque serão

Consolados... Felizes os puros de coração,

Pois verão a Deus”.

Pe. Rogério Ferreira

 

Pra Você 10

Setenário das Dores: “A profecia do velho Simeão”

Lc 2, 21-35 (se puder leia o texto)

 

“Não tenhais medo. (Cristo) Deus não tira nada. Ele nos dá tudo!”

Esse princípio vale para os jovens e os adultos e, em especial, para nós que queremos iniciar essa jornada em preparação para a Semana Santa, através do Setenário das Dores.

O objetivo maior desta semana não é chorar, ou consolar Maria. Deus pode consola-la melhor do que nós. O objetivo é entender que ela, apesar de tão amada pelo Pai, passou por dificuldades e desafios como todos. Autêntica condição humana.

E mais, na sua entrega total e confiante, superou tudo.

A força não vinha somente dela.

O episódio se dá quando o casal vai cumprir a lei de Moisés: a apresentação da criança recém-nascida, como quisesse dizer: esse filho é primogênito, nossa maior riqueza,

Mas, não é nosso. Ele vos pertence.

Quando damos o melhor, estamos permitindo que Deus também nos dê o melhor.

Verdadeiros encontros só acontecem no transbordamento.

Ofereceriam um par de rolas, ou dois pombinhos.

Oferta de pobre. Materialmente muito pouco. Porém,  oferta sincera.

Nisso surge um homem, Simeão, velho inspirado por Deus.

Símbolo de todo o Antigo Testamento.

Com a vista cansada, própria da idade, consegue enxergar com o coração e com a maturidade de quem é guiado pelo alto: “agora, Senhor, podeis deixar vosso servo ir em paz!”.

Uma criança contém o Deus infinito,

E, isso, convence o experiente profeta, que, por sua vez, sente serenidade.

Os pais ficaram admirados com tudo o que diziam a respeito do menino.

Quantas vezes somos incapazes de avaliar, e, nos surpreendemos, com aquilo que temos em mão.

A espada traspassará a alma de Maria.

Quem disse que Deus também não se revela na dor, nas surpresas e desafios da vida.

Tudo é encontro: Deus e humanidade, velho e novo, palavra e silêncio,

Presente e futuro, admiração e dor.

Tudo é possível na grandeza do amor. O verdadeiro milagre

Pe. Rogério Ferreira

Pra Você 09

Como o remador dentro da barca

(Sören Kierkegaard – 1813 - 1855)

 

Na vida é preciso ter a atitude certa, a verdadeira.

E é isto que faz o cristão em relação ao amanhã que, para ele, não existe.

Conduzindo sua barca, o remador vira as costas à meta para a qual se dirige.

O mesmo com o amanhã.

Quando, graças ao socorro do eterno, o homem vive mergulhado no dia presente,

Volta as costas para o amanhã, e quanto mais o eterno o mergulha,

Mais também ele volta as costas, deliberadamente, ao amanhã que ele não vê.

Mas, se ele virar, o eterno se turva a seus olhos e se confunde com o amanhã.

E é assim que o homem deve orientar-se para bem trabalhar hoje.

Todo o momento de impaciência em que ele quer ver o fim,

para ver se está chegando mais perto, é causa de atraso e de distração.

Não.

De uma vez por todas, seja firme e ponha ao trabalho com as costas voltadas para o futuro.

Assim faz o remador dentro de sua barca.

E também aquele que crê.

A fé volta as costas à eternidade justamente porque a retém dentro do presente.

Justamente, porque crê, o cristão se libertou do amanhã.

Ele é um “presente”

Aquele que se tormenta com o futuro é um “ausente”, um impotente.

...

O que é mais próprio para cultivar e elevar um homem é ser,

Graças ao eterno, o contemporâneo de si mesmo, no dia de hoje.

É assim que se ganha a eternidade.

E esta contemporaneidade do dia presente é justamente o nosso trabalho.

Aquele que o realiza tem a fé

 

Pra Você 08

 

É finalmente chegada a hora.

A Terra amada não será mais a mesma.

Que força tem a oração!

Que força tem o pensamento!

Tudo em 15 dias.

E como é infinito o amor de Deus!

Ele está em cada coração. Em cada oração. Em cada pensamento.

Como um pai que não abandona um filho.

Que Ser extraordinário, que com um simples raio de seu olhar magnânimo seria capaz

de ofuscar o próprio sol.

E esse Ser gigantesco olha para a Terra com piedade e amor.

Então, que motivo existe para ter medo?

O momento é de esperança!

O momento é de mudança!

Mudança para uma nova época.

E também é chegada a hora de espalhar esperança.

Aqueles que têm consciência do atual momento, têm a enorme missão de levar

esperança aos corações sofredores.

Quando todos estiverem com medo da morte, sejam a luz que mostra a vida eterna.

O momento atual é de igual grandeza.

Sejam semeadores da esperança.

Bem aventurados os que entenderem e aproveitarem esse momento, pois quando

tudo passar, serão bem-vindos a um planeta regenerado".

Pra Você 07

Recebi, esses dias, o texto que segue. Não havia indicação do autor.

Li o mesmo no programa de Rádio “Caminhos da Fé”.

Para melhor adequar ao contexto, fiz sútil adaptação. Não afetou sua essência.

EM QUINZE DIAS

Queridos irmãos da Terra.

Que momento extraordinário passa esse planeta.

Em 15 dias todas as nações do mundo se ajoelham perante o invisível.

Nenhum dinheiro do mundo pode aplacar o medo que hoje habita os corações dos seres.

A capital mundial do dinheiro finalmente descobre que não é possível comer e respirar o ouro.

A cidade luz, mergulhada nas trevas.

A cidade Eterna parece condenada a encontrar seu fim.

Enquanto isso, o Planeta Terra, organismo vivo, aproveita a ausência do homem e se cura.

Rios estão ficando cristalinos. O ar está mais puro em todo mundo e as estrelas estão mais visíveis.

Tudo em 15 dias.

Enquanto a solidariedade se destaca em alguns, outros exacerbam seu egoísmo, deixando evidente quem serão os futuros moradores da Terra regenerada.

E, que ironia, esse vírus abençoado parece não atacar animais.

O seu alvo é a espécie humana.

Abençoado sim, pois nos foi ensinado que a dor é grande mestra.

E quantas lições podem ser aprendidas com essa situação.

Sabemos que para o ganancioso é  difícil ver as coisas com os olhos da alma.

Mas creiam! O que acontece nesse momento é uma oportunidade única que outros tempos não tiveram.

A guerra nuclear era o drama da raça humana. A auto destruição o seu destino.

Mas esse planeta tão amado por Jesus, recebeu a chance maravilhosa de ter um chamado diferente.

Em vez de se autodestruírem para aprenderem a fraternidade, se afastarão, para aprenderem na dor da solidão a importância do coletivo, do amor.

Sentirão na falta de contato humano, a importância de um abraço.

Os seus contatos virtuais não serão suficientes para aquecer seus corações.

Mas feliz daquele que entende esse momento sublime.

(Continua amanhã)

Pra Você 06

 

A Igreja celebra hoje a Solenidade da Anunciação do Senhor.

Daqui exatamente nove meses estaremos celebrando o Natal.

Hoje recordamos que um dia, através de um anjo, Deus visitou, na Galileia, uma jovem, ou melhor, uma adolescente, chamada Maria.

Com essa visita havia uma proposta: ela deveria ser mãe.

Gerar uma criança, pois a vida sempre começa assim: uma gestação, um parto, um choro.

Maria, como não poderia ser diferente, não entendeu.

Tudo parecia grande demais.

Quis  mesmo resistir.

A final, quando não entendemos bem, temos medo e trememos,  preferimos não ir.

Isso nos faz mais seguros: deixar a vida do nosso tamanho, com nossas certezas.

Porém, como se tratava de uma visita, não custava conversar um pouco com o anjo.

Enfim, mesmo sem tudo entender, ela acabou dizendo sim.

Depois da conversa o anjo se afastou, pois a humanidade agora ganhara outro anjo (“aquele que anuncia”).

A palavra tornar-se-ia carne.

A “Teopatia Divina”: as dores de Deus.

Depender de uma mulher, ainda mais galileia. Depender de um sim, ainda mais de uma adolescente.

Neste mundo onde os homens se engrandecem pelo poder conquistado,

Deus se esvazia.

Quando alguém lhe diz não, Ele tenta novamente.

Ainda mais criativo, mais compadecido.

“O terrível: Deus nunca desiste de nós!”

São as dores de Deus.

Ele sabe: não precisava ser assim!

Pe. Rogério Ferreira

Pra Você 05

"A imaginação é a metade da doença; a tranquilidade é a metade do remédio e a paciência é o  começo da cura." (Avicena – séc. X - XI).

 

Quero me reportar a uma homilia feita recentemente.

Alguns deverão se lembrar.

Tornar-se humano dá um grande trabalho, às vezes, chega a doer.

Deus bem que poderia nos ter criado diretamente no céu.

Não haveria tantos desafios, limitações, dificuldades, “joios”. “Só trigo”.

Porém, deixaríamos de ser humanos. Talvez fôssemos anjos, ou outro ser celeste, sem carne, sem prazeres,

Provavelmente, não pecaríamos, mas, também  não poderíamos escolher.

Nasceríamos prontos e perfeitos.  Não precisaríamos da misericórdia divina.

Seria tudo ou nada caso falhássemos.

Há, porém, algo que dá mais trabalho, e,

certamente, a dor se torna muito mais pungente.

Quando deixamos de ser humanos e queremos ser Deus.

Ultrapassar não nossos limites, mas nossa condição, diriam alguns, nossa essência.

Imaginamos estar no controle absoluto de nossas vidas e da vida dos outros.

Se fosse assim, poderíamos cancelar o passado e ditaríamos o futuro.

E, ainda como Deus, estabeleceríamos uma lógica do nosso tamanho, com nossos interesses e nos sentiríamos oniscientes e onipotentes.

Conclusão: quando isso acontece, e, como acontece,

sofremos duplamente,

pelo esforço ilusório que suga toda energia,

e pela frustração de saber que tentamos, o tempo todo,

criar  nada mais do que zonas de conforto.

Infelizmente, há, ainda, uma terceira situação,

Muito mais ilusória que nos causa dor irreparável:

quando estamos contra Deus.

“E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal...”

Amém!

Pra Você 04

Fé: A arte de dizer “Sou eu mesmo”

4º Domingo da Quaresma

(Antes, leia o texto: João 9, 1-38)

O Evangelho deste domingo nos apresenta um contraste: “Jesus ao passar, viu um homem cego”.

Naquele tempo a cegueira era relacionada ao pecado.

O texto pode ser dividido em cinco cenas:

Jesus fez lama com terra e saliva e aplica nos olhos do cego.

Uma nova criação? Lembrando que Adão, o velho homem, havia sido criado do barro

Instaura-se uma polêmica

Inicialmente, entre os vizinhos do cego e, depois, entre os fariseus (era dia de sábado)

a cerca da identidade daquele que foi curado. Pode ser a mesma pessoa, ela muda?

Diante da controvérsia, a resposta corajosa do homem: “Sou eu mesmo”

Quantas vezes Jesus também havia afirmado “eu sou”:  o pão, a água viva, o caminho,  a ressurreição

Surge e Cresce a consciência a respeito de Jesus. Os olhos se abrem e afirma: “É um profeta”

Acabou sendo expulso da comunidade (como se antes já não era excluído por sua condição de pecador e mendigo).Finalmente, trava-se um diálogo: “acreditas no filho do homem?” “quem é, senhor?”

“E prostrou-se diante de Jesus”

O Evangelho além de ser uma catequese batismal,  tem muito a nos ensinar, sobretudo, a coragem de dizer “sou eu mesmo” diante das polêmicas e dos desafios a que somos expostos, mormente,  nos tempos atuais.

Pra Você 03

Começa o outono.

O outono nos convida a deixar de lado muitas coisas externas

para que a alma possa respirar.

Observem as árvores,  vejam como elas perdem suas folhas, sem pudor, de forma rítmica em conjunto com as demais árvores,

inspirando  poetas e  demais artistas

 num misterioso e fecundo desapego.

Caso não aconteça o Outono, igualmente não ocorrerá o Inverno,

a Primavera e o Verão.

E somente o todo permite e é, efetivamente,  vida.

Por fim, vida  é um constante processo de ascensão e queda, desprendimento e renovação.

Só quem se desprende de si mesmo pode ganhar a si mesmo!

Pra Você 02

Jesus, no meio desse abandono universal e no abandono dos amigos, escolhidos para com Ele velarem,

ao encontra-los dormindo, aflige-se pelo perigo a que expõem, não a Ele, mas a si mesmos.

E os adverte da própria salvação e do próprio bem, com uma ternura cordial por eles, durante aquela ingratidão.

E os adverte que o espírito é pronto, mas que a carne é fraca.

Jesus encontrando-os ainda dormindo – sem que isso os retivesse a consideração que lhe deviam ou a que deviam a si mesmos – não os desperta, cheio de bondade.

Deixa-os em repouso.

Jesus ora sem ter certeza da vontade do Pai e teme a morte.

Enquanto dormiam os discípulos, Jesus os salvou.

E salvou a todos os justos, enquanto dormiam: do abismo do nada, antes de nascerem,  do pecado, depois de nascidos.

(Blaise Pascal)

 

Pra Você 01

“Está Jesus não em um jardim de delícias, como o primeiro Adão que nele se perdeu e a todo o gênero humano,

mas em um jardim de suplícios, onde se salvou e a todo o gênero humano.

Sofre no horror da noite, essa pena, esse abandono.

Creio que só desta vez Jesus se queixou. Mas, foi como se não mais pudesse conter em si a dor excessiva:

‘Minha alma está triste até a morte’

Jesus procurava companhia e alívio da parte dos homens. Penso que isso aconteceu uma só vez em toda a vida.

E nada recebe.

Os seus discípulos dormem.

Jesus estará em agonia ate o fim do mundo.

É preciso “não dormir” durante este tempo.” (Blaise Pascal 1623 – 1662)


Simples assim - 21.07.20

O amor é como a irrigação por gotejamento:
Diário, permanente.
Não agride, evita excesso, é sereno.
Quando o jovem ama, o mundo se renova:
Primeiramente a própria pessoa, depois a família, os amigos.
Sem notar, o gotejamento se transforma em cascata:
Abundante, já não se pode medir a extensão e as consequências.
Não há melhor remédio que o amor,
Não há melhor motivo para viver que o amor.
Faça a experiência, comece ainda hoje.
Não espere pelos outros,
Nem se sinta impedido pelo que possa ter acontecido.
O amor é o presente, única forma de garantir um futuro viável.

 


45 Lições escritas por um (a) senhor (a) de 90 anos!
(Continuação) - 20.07.20


26. Encare cada “chamado” desastre com essas palavras: Em cinco anos, vai importar?
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe, não esqueça.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.
31. Independentemente de a situação ser boa ou ruim, irá mudar.
32. Não se leve tão a sério. Ninguém mais leva…
33. Acredite em milagres.
34. Deus te ama por causa de quem Ele é, não pelo que você fez ou deixou de fazer.
35. Faça o que der para ser feito agora, agora não depois, o  que sobrar faça depois.
36. Envelhecer é melhor do que morrer jovem.
37. Seus filhos só têm uma infância.
38. Tudo o que realmente importa, no final, é que você amou.
39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos jogássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos 
os de todo o mundo, pegaríamos os nossos de volta.
41. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor está por vir.
43. Não importa como você se sinta, levante, se vista e compareça.
44. Produza.
45. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente.

 

Décimo Sexto Domingo do Tempo Comum – 19.07.20
Mt 13, 24 - 43 


Alguns consideram que o crescimento é apenas para uma, ou outra fase da vida:
A infância, a adolescência.
Enganam-se.
Crescer é para a vida toda.
Crescer é sinal de que a vida acontece.
Até o “Reino de Deus”,
Empreita que Jesus veio estabelecer em parceria com a humanidade, precisa crescer.
Quem pensa o contrário está afirmando que está maduro,
E pronto para ser ceifado. A missão estaria cumprida.
As três parábolas do Evangelho de hoje deixam claro:
Crescer, apesar da aparente oposição:
“Trigo e Joio”.
Crescer apesar da aparente pequenez:
“A Semente”.
Crescer apesar da aparente invisibilidade:
“O Fermento”.
Três contextos, um só ensinamento.
Mas, para que isso efetivamente possa ocorrer
É necessário o discernimento, a paciência e a firmeza.
Atitudes que revelam Deus em nós.

 

45 Lições escritas por um (a) senhor (a) de 90 anos! - 18.07.20


1. A vida é boa.
2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.
3. A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.
4. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e sua família irão. Mantenha contato.
5. Não compre o que não precisa.
6. Você não tem que vencer todo argumento,
Apenas se mantenha honesto consigo mesmo.
7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.
8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta.
9. Economize para as coisas que importam.
10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.
11. Sele a paz com seu passado, para que ele não estrague seu presente.
12. Tudo bem em seus filhos te verem chorar.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem ideia do que se trata a jornada deles.
14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe,
Deus nunca pisca.
16. Respire bem fundo. Isso acalma a mente.
17. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.
18. O que não te mata, realmente te torna mais forte.
19. Nunca é tarde demais para ser feliz. Mas isso só depende de você e mais ninguém.
20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite
“não” como resposta.
21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante.
Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Se prepare bastante; depois, se deixe levar pela maré…
23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém é responsável pela sua felicidade, além de você.
(Continua na segunda-feira)

 

Se Hermógenes – 17.07.20


Se, ao final desta existência,
Alguma ansiedade me restar
E conseguir me perturbar;
Se eu me debater aflito
No conflito, na discórdia… Se ainda ocultar verdades
Para ocultar-me,
Para ofuscar-me com fantasias por mim criadas… Se restar abatimento e revolta
Pelo que não consegui
Possuir, fazer, dizer e mesmo ser…Se eu retiver um pouco mais
Do pouco que é necessário
E persistir indiferente ao grande pranto do mundo…
Se algum ressentimento, Algum ferimento
Impedir-me do imenso alívio
Que é o irrestritamente perdoar, E, mais ainda,
Se ainda não souber sinceramente orar
Por quem me agrediu e injustiçou… Se continuar a mediocremente
Denunciar o cisco no olho do outro
Sem conseguir vencer a treva e a trave
Em meu próprio… Se seguir protestando
Reclamando, contestando,
Exigindo que o mundo mude
Sem qualquer esforço para mudar eu… Se, indigente da incondicional alegria interior,
Em queixas, ais e lamúrias,
Persistir e buscar consolo, conforto, simpatia
Para a minha ainda imperiosa angústia… Se, ainda incapaz
para a beatitude das almas santas,
precisar dos prazeres medíocres que o mundo vende… Se insistir ainda que o mundo silencie
Para que possa embeber-me de silêncio,
Sem saber realizá-lo em mim…Se minha fortaleza e segurança
São ainda construídas com os materiais
Grosseiros e frágeis
Que o mundo empresta,
E eu neles ainda acredito…Se, imprudente e cegamente,
Continuar desejando
Adquirir,
Multiplicar,
E reter
Valores, coisas, pessoas, posições, ideologias,
Na ânsia de ser feliz…
Se, ainda presa do grande embuste,
Insistir e persistir iludido
Com a importância que me dou…
Se, ao fim de meus dias,
Continuar
Sem escutar, sem entender, sem atender,
Sem realizar o Cristo, que,
Dentro de mim,
Eu Sou,
Terei me perdido na multidão abortada
Dos perdulários dos divinos talentos, Os talentos que a Vida
A todos confia,
E serei um fraco a mais,
Um traidor da própria vida,
Da Vida que investe em mim,
Que de mim espera
E que se vê frustrada
Diante de meu fim.
Se tudo isto acontecer
Terei parasitado a Vida
E inutilmente ocupado
O tempo
E o espaço
De Deus.
Terei meramente sido vencido
Pelo fim,
Sem ter atingido a Meta.

 


DIA DA PADROEIRA -16.07.20

A vida em comunidade é um desafio, uma arte e uma bênção.
Um desafio como toda construção.
Uma arte que inspira e interpela o mundo em que vivemos, às vezes, tão
Individualista e competitivo.
Uma bênção, pois ser comunidade é a própria forma de vida divina:
A Santíssima Trindade.
Temos feito aqui, em nossa paróquia, uma experiência profundamente bela.
Sem nunca ter deixado de existir desafios, estamos dando
Testemunho de fraternidade,
Contando, certamente, com as melhores bênçãos do Céu.
Hoje dia de Nossa Senhora do Carmo,
Nossa mãe querida, também se alegra e nos abençoa por nos ver assim,
Como irmãos de seu filho, e filhos do mesmo Pai bondoso.
Carmo de Minas...  traz em seu nome o nome da Mãe do Senhor, e
Em seu coração a Graça abundante de vida.
Que Nossa Senhora do Carmo continue abençoando a todos,
As crianças, os jovens, os idosos, cada família, cada comunidade.
Gratidão por tudo.
Deus seja louvado!

 

O Evangelho de Lucas - 15.07.20
(para acompanhar o programa “Caminhos da Fé” - 118)

 

  • Enquanto Marcos é um resumo catequético, e Mateus, uma apresentação de Jesus como “Escriba do Reino”, uma reflexão sobre a lei, o terceiro Evangelho é uma “história teológica, ou espiritual” dos acontecimentos.

 

  • Autoria: a obra é atribuída a Lucas, o médico (Cl 4, 14), companheiro de Paulo, Silas, Timóteo e Tito nas viagens missionárias. Há muito material original, o qual não se encontra em Marcos, ou Mateus.

 

  • A data: como o evangelho de Mateus, deve ter sido redigido por volta do ano 80, após a destruição do Templo de Jerusalém.

 

  • Motivação imediata da redação: Apresentar a história em três momentos: A promessa (Antigo Testamento), o cumprimento (Jesus, o novo Elias) e continuidade através da Igreja Primitiva (Atos dos Apóstolos). Sempre tendo o Espirito Santo como o condutor, e aquele que dá unidade aos momentos citados.

 

  • Conteúdo central: Jesus é presentado como plena misericórdia, atento aos pobres e pecadores: “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6, 36). Neste Evangelho encontramos as parábolas da moeda e da ovelha Perdidas, do Pai Misericordioso (também conhecida como a do Filho Pródigo). É também aqui a valorização da figura feminina (muito excluída naquele tempo), como é o caso das primas Maria e Isabel e as irmãs Marta e Maria. Valoriza-se, igualmente o estrangeiro e do “pagão” (Parábola do Bom Samaritano, Lc 10, 25 – 36). Por fim, destaca-se o tema da Universalidade: de Jerusalém para o Mundo.

 

  • O Plano da obra:

 

  1. O anúncio (promessa) e o Nascimento de Jesus – Caps. 1- 2

  2. Pregação e morte de João Batista – cap. 3

  3. Batismo e início da vida pública de Jesus – Cap. 3, 21 – 4, 13

  4. A Pregação na Galileia - Cap. 4, 14 – 9, 50

  5. Percorrendo terras dos judeus e samaritanos – Ca. 9, 51 – 19, 27

  6. Em Jerusalém – Paixão, morte e ressureição – Cap. 19, 28 – 24,53

  7. Anúncio de Jesus e sua obra – Livro dos Atos dos Apóstolos

 

Pra Você – 14.07
Bem-aventurada Virgem Maria, Porta do Céu.
(Oitavo dia da Novena NSC – Mt 25, 1 -13)


Há pessoas que brilham,
Pena que algumas por pouco tempo,
Outras pela vida inteira:
Quanto mais vivem, mais brilham,
Fruto da maturidade, da liberdade e da permissão de Deus nelas.
Umas brilham pela beleza física,
Outras pela inteligência, ou por algum dom especial,
Outras, ainda, pela capacidade de estar de bem com a vida, pela bondade.
E você, brilha por quê?
No evangelho de hoje há dez jovens (Jovem, “Jovis”: deus do dia, do céu, do trovão)
Cinco imprevidentes, cinco previdentes.
As primeiras com pouco óleo, pouca luz.
As últimas com óleo suficiente, luz constante.
O céu é lugar de luz, nele não há trevas.
Jesus é o ser de luz,
Quem dele se aproxima não conhece escuridão.
Maria, aquela que deu a luz (Jesus) à luz (mundo),
Bem-aventurada Virgem Maria, Porta do céu!

 

Pra Você – 13.07
Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Santa Esperança.
(Sétimo dia da Novena NSC – Jo 2, 1 -11)


O Evangelho de hoje pode ser divido em três atos:
Ausência, presença e consequência.
Ausência:
Era um casamento (Antiga Aliança/Testamento),
Os noivos já não tinham mais vinho,
Havia seis talhas de pedra (a lei que não gerava vida nova, o coração humano?)
Cada qual – vazia, com capacidade de quase cem litros
Seria um constrangimento sem fim diante dos convidados.
Presença:
Maria estava ali, Jesus e seus discípulos (Igreja) também foram convidados.
Ela foi atenta à situação, e pediu que o filho fizesse algo
Encheram as talhas até à borda (de água para a purificação)
E o encarregado (todo aquele que conta apenas com sua própria lógica)
Provou da água transformada em vinho
Consequência
Foram seiscentos livros de vinho novo
“Tu guardaste o melhor para o fim”, e
Seus discípulos creram nele.
Sabe por que tudo isso aconteceu?
“É que a festa não vai acabar...”
Maria, Mãe da Esperança, Rogai por nós!

 

Pra Você – 12.07
Décimo quinto Domingo do Tempo Comum
(Sexto dia da Novena NSC -
Bem aventurada Virgem Maria, Amparo da Fé)


Num mundo globalizado e, ao mesmo tempo, plural como o nosso,
Vai se tornando cada vez mais claro que o caminho é o diálogo.
Para que seja ele verdadeiro e frutuoso são necessários três aspectos:
A verdade do que se diz,
A forma como se diz,
A maneira como se acolhe que foi dito.
Tudo isso demonstra maturidade e respeito.
Assim, há aqueles que não conseguem se comunicar, ou se expressar,
Há os que precisam reiteradamente mentir (um verdadeiro atestado de falência),
Há, por fim, os que não escutam, ou se esforçam para acolher.
Contudo, há aqueles que se dão inteira e transparentemente na palavra,
Há os que sabem que mentir é uma ilusão, pois, “a verdade vos libertará”.
Há, ainda, os que não entendendo, ou concordando, respeitam, não julgam,
Mas deixam claro sua postura diante daquilo que foi tratado.
Na parábola contada por Jesus no Evangelho de hoje,
O semeador é o mesmo, o que parece também acontecer com a semente.
Porém, na sua explicação, o que conta é o tipo de terreno, que na verdade são quatro:
O da beira do caminho,
O do solo pedregoso, sem profundidade,
O da terra cheia de espinhos, que sufoca a semente, e
O terreno bom que dá frutos, cem, sessenta ou trinta por semente.
Não importa, cada qual com sua a capacidade.
O importante, mesmo, é não desperdiçar a oportunidade,
E a capacidade de gerar frutos para o Reino de Deus.
Ir além, e progredir no estágio em que se encontra.
Deus sempre quer dialogar conosco.

Pra Você – 11.07
Bem-aventura Virgem Maria, Sede da Sabedoria.
(Quinto dia da Novena de NSC)



Jesus disse:
“Bem-aventurados os puros de coração”.
Conforme o filósofo Kierkegaard
Puro de coração é aquele que deseja apenas uma coisa de sua vida,
Aquele que não foi poluído, não está disperso, tem foco.
No Antigo Testamento, o trono (“a sede”) de Salomão
Era o lugar onde Deus sentava, por isso era ele um rei sábio.
No episódio da visita de Jesus às irmãs, em Betânia,
Ele chama a atenção de Marta, não porque ela trabalhava,
Enquanto Maria estava sentada, como se privilegiasse a oração,
Em detrimento da ação. Mas, porque Marta, querendo
Fazer tanta coisa para agradar, passou dos limites,
ficou atrapalhada, perdeu o foco,
E ainda culpou sua irmã por não tomar a mesma atitude e ajuda-la.
Maria, a Mãe de Jesus, mais do que possuir um trono,
Se tornou a sede de sabedoria, pois o Espírito Santo
Desceu sobre ela e permitiu que fosse gerado Jesus em seu seio,
A palavra que ser fez carne e trouxe a salvação.
Sejamos também sábios (aqueles que experimentam o sabor de Deus),
Como Salomão, como Maria, a irmã de Marta, mas, sobretudo,
Como Maria, a mãe do salvador.
Virgem que sabe ouvir, Rogai por nós!

 

Pra Você –10.07
Bem-aventura Virgem Maria, Templo do Senhor.
(Quarto dia da Novena de NSC)


Assim diz a canção:
“Sabe o que mais eu quero agora, meu amor?
Morar no interior do meu interior...”
Deus mora em todo o lugar,
Mas, templo é o espaço que construímos para o encontro com Ele.
Bem- aventurados aqueles que fazem de sua alma
O Templo do Senhor.
Assim fez Isabel, mulher idosa e estéril.
Tornou-se fecunda, e João Nasceu.
Assim fez Maria, mulher jovem e virgem,
Ofereceu o melhor de si, e Jesus Nasceu.
“Para Deus nada é impossível!”
Mais que ninguém, assim foi Jesus, homem e santo.
Sendo crucificado e morto,
no terceiro dia, ressuscitou.
Todo templo é belo, pois Deus ali está.
Sejamos belos como Isabel, Maria e Jesus.
Rainha do Carmelo, Rogai por Nós!

 

Pra Você – 09.07
Santa Maria, Fonte de Luz e de Vida.
(Terceiro dia da Novena de NSC)


Machado de Assis, em uma de suas obras, diz:
“Convém que os homens afirmem
O que não sabem, e, por ofício, o contrário do que sabem”.
Esse princípio se aplica a historia de Jesus, conforme o Evangelho de João,
Quando narra que “muitos entre os chefes judeus creram nele,
Mas, não o confessaram por causa dos fariseus,
Para não serem expulsos da sinagoga.
Preferiram a glória dos homens à glória que vem de Deus”.
É quando a conveniência fala mais alto que as convicções,
O respeito humano, mais que a própria fé.
Jesus se apresentou como vida e luz,
E todo aquele que nele crê deve estar comprometido
Na defesa e no cultivo da vida de forma transparente e honesta,
Seja como for:
Na pessoa humana, mas, também,
Na “casa comum” (O Planeta), no dizer do Papa Francisco.
Se alguém disser que crê, mas não tiver uma conduta
Conforme o que disse Jesus,
Estará traindo o Evangelho e o próprio Reino de Deus.
Foi, contudo, Maria quem gerou para a humanidade essa vida, essa luz.
Quanto de seu exemplo, Jesus bebeu para que, mais tarde, pudesse
Ensinar tudo isso.
Afinal, é “Pelos frutos que se conhece a árvore”!

 

Pra Você – 08.07.20
O Evangelho de Mateus
(para acompanhar o programa “Caminhos da Fé” - 117)

 

  • É um Evangelho “completo”: Nascimento e infância de Jesus, o ministério de João Batista, a vida pública de Jesus– atividades e ensinamentos, paixão, morte e ressurreição e a missão deixada à Igreja

 

  • O autor: é atribuído a Mateus, o publicano – possuía sua coletoria de impostos, o qual se tornou apóstolo.  Este recebe Jesus em sua casa, símbolo da Aliança. (Cf. Cap. 9, 9 – 13.)

 

  • A data: Por volta do ano 80, após a destruição do Templo de Jerusalém

 

  • Motivação imediata da redação: fortalecer a fé dos cristãos de origem judaica, os quais estavam sendo pressionados a retornar ao Judaísmo. Tempo de dupla perseguição: Judaica e Romana.

 

  • Conteúdo Central: Jesus é o Messias Mestre, o escriba do “Reino dos Céus”. Um nítido paralelo com Moisés, aquele que havia dado a lei ao povo da Antiga Aliança. O importante agora é, sem desprezar ou abolir a lei,  conhecer e fazer a vontade do Pai. Haja vista que é neste evangelho que encontramos Jesus ensinando a oração do Pai Nosso.

 

  • O Plano da obra:

 

  1. O nascimento e a infância de Jesus  (“Evangelho da Infância”) – Caps. 1 – 2

 

  1. Abertura das atividades e Jesus + O Sermão da Montanha – Caps. 3 -7

 

  1. Milagres e Curas + Sermão da Missão – Caps. 8 – 10

 

  1. Atividade na Galileia + Sermão das parábolas – Caps. 11 - 13

 

  1. Constituição da Comunidade  + Sermão da Comunidade – Caps. 14 – 18

 

  1. Controvérsias em Jerusalém + Sermão Escatológico – Caps. 19 – 25

 

  1. Paixão, Morte e Ressurreição – Caps. 26 – 28


Assim, temos uma introdução (O Evangelho da Infância) e uma conclusão (Relato da paixão, morte e ressurreição) permeadas de cinco outras partes, constituídas, cada uma,  de narrativas de ação e um sermão. São ações que dão autoridade às palavras e palavras que esclarecem o sentido das ações. Assim foi  Moisés, Jesus, assim também deve ser a Igreja.

Pra Você – 07.07
Santa Maria, Mãe do Senhor.
(Primeiro dia da Novena de NSC)


Maria é uma mulher especial.
Na história que dela conhecemos,
Principalmente, através do Evangelho de Lucas,
Foi pessoa de Deus e pessoa do Povo.
Não houve exclusão, pelo contrário:
Seu sim a Deus fez com que ela dissesse seu sim à humanidade.
Quem não procura vivenciar essa síntese falseia o Evangelho e a Fé.
Ainda muito jovem, foi capaz de dialogar com o anjo,
Ou seja, com o próprio Deus, mas, igualmente,
Foi capaz de dialogar com sua prima mais velha, Isabel.
Princípio de responsabilidade.
Esta, por sua vez, a recebe em sua casa e proclama:
“Donde me vem a honra de vir a mim a mãe do meu Senhor?”
Maria por sua vez, proclama o Magnificat,
Um hino inspirado nas Sagradas Escrituras,
Consciência de um povo.
Sobretudo a partir do Livro de Samuel, capítulo 2.
Deixemo-nos ser educados e conduzidos
Por essa encantadora mulher
Escolhida por Deus, grande aos olhos da humanidade.
Flor do Carmelo, rogai por nós!

Pra Você – 06.07
A serpente e o vaga-lume

Conta-se que uma serpente começou a perseguir um vaga-lume.
Fugiu um dia e ela não desistiu; dois dias e nada.
No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse à cobra:

- Posso lhe fazer três perguntas?
Não costumo abrir esse precedente para ninguém,
mas já que vou te devorar mesmo, podes perguntar...
- Pertenço à sua cadeia alimentar?
- Não.
- Eu lhe fiz algum mal?
- Não.
- Então, por que você quer acabar comigo?
E a serpente responde:
- Porque não suporto ver você brilhar.

Pense nisso! Infelizmente, a qualquer momento,
Uma cobra pode cruzar nosso caminho.
Esteja sempre alerta, pois o que não faltam são serpentes
Querendo nos atrapalhar.
Mas, não tenha medo! Não fuja!
Brilhe sempre, com muita intensidade!

 

Pra Você – 05.07
Décimo Quatro Domingo do Tempo Comum


A  vida,
Traz consigo a dinâmica
“Do acolher e do compartilhar”, “receber e dar”.
Em relação a isso podemos ter três posturas:
Arrogância, falsa modéstia e  humildade.
A primeira é própria da pessoa que pensa que basta para si mesma,
É autossuficiente, não admite ajuda, mas, também,
Não tem empatia com o outro.
A segunda postura é própria da pessoa que basicamente
Tem a característica acima, porém quer demonstrar o contrário.
Isso nem sempre é claro para si mesma.
O discurso típico de quem age assim é:
“Gosto de fazer bem todas as coisas,
“Como não tenho tempo, prefiro não fazer”.
Não estaria ela negando a possibilidade de ser ajudada?
Não estaria também negando a possibilidade de não ser tão boa quanto parece?
A terceira postura é daquela pessoa que faz o que é possível.
Não fica constrangida em ser ajudada, e lida bem com as suas limitações.
O importante é servir, participar.
No Evangelho de hoje Jesus louva o Pai por
Ter escondido essas coisas aos sábios e
As ter revelado aos pequeninos.
Convida também a todos os que estão cansados e fatigados
A tomar sobre si o seu jugo, pois,
Ele é suave e leve é seu fardo.
A verdadeira humildade!

 

Pra Você – 04.07
O que há dentro de sua xícara?
Autor desconhecido


Você está segurando uma xícara de café
Quando alguém chega e encosta ou balança seu braço,
Fazendo com que derrame o café por todo lado.
Por que você derramou o café?
“Bem, porque alguém encostou em mim, é claro!”
Resposta errada.
Você derramou o café porque o café estava na xícara.
Se dentro houvesse chá, você teria derramado chá.
O que quer que esteja dentro da xícara é o que será derramado.
Portanto, quando a vida chega e balança você
(algo que com certeza irá acontecer),
Seja o que for que esteja dentro de você irá sair.
É fácil fingir até que você seja chacoalhado. 
Então temos de perguntar a nós mesmos…
O que há dentro da minha xícara?
Quando a vida fica difícil, o que derrama?
Alegria, gratidão, paz e humildade?
Ou fúria, amargura, palavras e ações duras?
Você escolhe!
Hoje vamos nos esforçar para encher nossas xícaras
Com gratidão, perdão, alegria, palavras de afirmação
Para nós e aos outros, bondade, gentileza e amor.

 

Pra Você – 03.07
O Milagre da Vida
Albert Einstein


"Pode ser que um dia o tempo passe...
mas, se a amizade permanecer, 
um do outro há de se lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos...
mas se formos amigos de verdade
a amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
mas enquanto houver amizade,
faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia não mais existamos...
mas se ainda sobrar amizade 
nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
cada vez de forma diferente,
sendo único e inesquecível cada momento
que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas de viver sua vida:
uma é acreditar que não existe milagre,
a outra é acreditar que todas as coisas são um milagre!"

Pra Você – 02.07
O homem é o único animal...
Luís Fernando Veríssimo


...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pelo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...que não tem uma linguagem comum a toda a espécie
...que se tosa porque quer
...que joga no bicho
...que aposta em galo e cavalo
...que tem gato e cachorro
...que tem lucro com os ovos dos outros
...que caça borboleta
...que usa gravata e pensa que Deus é parecido com ele
...que planta e colhe
...que planta e colhe e mesmo assim morre de fome
...que foi à Lua
...que apara os bigodes
...que só come carne crua em restaurante alemão
...que gosta de escargot (fora o escargot)
...que faz dieta
...que usa o dedão
...que faz gargarejo
...que escraviza
...que tem horas
...que imita passarinho
...que poderia ter construído Veneza e destruído Hiroshima
...que faz fogo
...que se analisa
...que faz ginástica rítmica
...que sabe que vai morrer
...que sabe que vai morrer e mesmo assim vai atrás do motorista que cortou sua frente
só para xingar a mãe dele e se desagravar porque não leva desaforo pra casa de vagabundo nenhum
...que sabe que vai morrer e mesmo assim, ou por causa disto, fica fazendo caretas na frente do espelho
...que se compara com os outros animais
...que se mata
... que se pinta
...que tem uma cosmogonia
...que senta e cruza as pernas
...que chupa os dentes
...que pensa que é eterno.

O homem não é o único animal...

...que constrói casa, mas é o único que precisa de fechadura
...que foge dos outros, mas é o único que chama de retirada estratégica
...que se ajoelha, mas é o único que faz isto voluntariamente
...que trai, polui e aterroriza, mas é o único que se justifica depois
...que engole sapo, mas é o único que não faz isso pelo valor nutricional
...que faz sexo, mas é o único que precisa de manual de instruções


 

Pra Você – 01.07.20

O Evangelho de Marcos

(para acompanhar o programa “Caminhos da Fé” - 116)

 

É o Evangelho mais antigo, servindo de base para os Evangelhos de Mateus e Lucas

 

O autor: é atribuído a João Marcos, filho de certa Maria, em cuja casa se reunia a comunidade de Jerusalém (At  6, 12)

 

A data: Por volta do Martírio de São Pedro, isto é, no ano 65 d.C  (Cf. cap. 13)

 

Motivação imediata da redação: Época de final dos pregadores orais do Evangelho. Um manual para os Catecúmenos e os missionários

 

Conteúdo Central: Jesus é o Messias; porém segui-lo não é fácil, pois é o “Filho do Homem”, isto é,  sendo Deus, foi verdadeiro homem, incompreendido e perseguido. Ele também faz suas exigências

 

O Plano da obra:

 

Após o Batismo, Jesus prega com autoridade e cura (Cap. 1- 5)

        Multidão o acompanha; realiza gestos libertadores: os milagres de cura, ensina que o sábado e a lei são para o homem, e não o contrário.

 

Começa a rejeição por parte dos chefes (Cap. 6 – 9)

Família o considera louco, uma comunidade o acompanha; Surgem perguntas: quem é ele? Qual era sua autoridade?  Pedro responderá: “Tu és o Messias”.

 

Caminho para Jerusalém (Cap. 10)

        Fala de seu futuro sofrimento, da cruz e da ressurreição; Os discípulos recusam sua revelação e            Jesus insiste: segui-lo é cada um tomar sua cruz; Fazer-se último, enquanto Tiago e João pedem honras.

 

Em Jerusalém (Cap. 11 – 15)

        Acusado, o Sumo Sacerdote pergunta: “Tu és o Cristo?”, e ele responde “Sim”; os mais próximos o abandonam e fogem, as mulheres o seguem de longe, substituem os discípulos, enquanto o soldado Romano o reconhece.

 

O Ressuscitado (Cap. 16)

 É como discípulo que o reconheceremos: “Ide, fazei discípulos meus todos os povos...”, a  experiência do Mistério.

Pra Você – 30.06
D. Hélder Câmara
Saber Parar


Parar de maneira certa
É continuar!

 

Pra Você – 29.06
Oração
Charles de Foucauld



Senhor, para onde irei?
Para onde Jesus iria:
Para a ovelha mais tresmalhada,
Para o irmão mais doente,
Para os mais abandonados,
Para os que têm menos pastores,
Para os mais cativos do demônio,
Para os mais cegos,
Para os mais perdidos...

 

Pra Você – 28.06
Solenidade - S. Pedro e S. Paulo


De várias formas e de vários modos
A igreja precisa ser “sinal” para o mundo.
Essa é a sua missão: Sal da Terra, Luz do Mundo!
Um desses modos é a vida em comunhão,
O que ultrapassa em muito a vida uniforme, isto é,
A obrigação de que todos tenham o mesmo pensamento e a mesma prática.
A festa de hoje nos convida a aprofundar essa realidade:
Pedro e Paulo, tão diferentes, a serviço da mesma causa,
Pilares da mesma Igreja, seres que se complementam.
Ambos passaram por três situações, as quais nós também podemos passar:
O Encontro e a descoberta de Cristo:
Pedro através de seu irmão André e Paulo, através da queda no caminho.
Uma profunda conversão:
Pedro deixando as redes para ser pescador de homens e
Paulo deixando de enxergar para ver com outros olhos.
A missão:
Pedro, permanecendo em Jerusalém e Paulo, percorrendo povos e culturas.
Assim, o que importa não é o que foi, mas o que será.
O que agrada a Deus não é a monotonia, mas a efervescência do ser.
Bom cristão não é aquele que realiza o que é difícil, quase o impossível,
Mas, aquele que ama, aquele que serve.
Conformar o coração com o coração de Cristo.
Vida em comunhão.

Pra Você – 27.06
“Tudo tem o seu tempo”


O Texto de hoje é conhecido.
É um texto bíblico, e dá continuidade o que foi apresentado ontem.

“Tudo tem o seu tempo.
Há um momento oportuno para cada coisa
Debaixo do céu:
Tempo para nascer e tempo para morrer;
Tempo de plantar e
Tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar e tempo de curar;
Tempo de destruir e tempo de construir;
Tempo de chorar e tempo de rir;
Tempo de lamentar e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras e tempo de ajunta-las;
Tempo de abraçar e tempo de se afastar dos abraços;
Tempo de procurar e tempo de perder;
Tempo de guardar e tempo de jogar fora;
Tempo de rasgar e tempo de costurar;
Tempo de calar e tempo de falar;
Tempo de amor e tempo de ódio;
Tempo de guerra e tempo de paz”.

(Eclesiastes 3, 1 – 8)

Pra Você – 23.06
Pra viver melhor...
Bruno Pitanga


Não se preocupe, se ocupe.
Ocupe seu tempo, ocupe seu espaço, ocupe sua mente.
Não se desespere, espere.
Espere a poeira baixar, espere o tempo passar, espere a raiva desmanchar.
Não se indisponha, disponha.
Disponha boas palavras, disponha boas vibrações, disponha sempre.
Não se canse, descanse.
Descanse sua mente, descanse suas pernas, descanse de tudo.
Não menospreze, preze.
Preze por qualidade, preze por valores, preze por virtudes.
Não se incomode, acomode.
Acomode seu corpo, acomode seu espirito, acomode sua vida.
Não desconfie, confie.
Confie no seu sexto sentido, confie em você, confie em Deus.
Não pressione, impressione.
Impressione pela humildade, impressione pela simplicidade, impressione pela elegância.
Não crie discórdia, crie concórdia.
Concórdia entre nações, concórdia entre pessoa, concórdia pessoal.
Não maltrate, trate bem.
Trate bem as pessoas, trate bem os animais, trate bem o planeta.
Não se sobrecarregue, recarregue.
Recarregue suas forças, recarregue sua coragem, recarregue sua esperança.
Não atrapalhe, trabalhe.
Trabalhe sua humanidade, trabalhe suas frustrações, trabalhe suas virtudes.
Não conspire, inspire.
Inspire pessoas, inspire talentos, inspire saúde.
Não se apavore, ore.
Ore a Deus, ore aos santos, ore às forças e as energias.
Somente assim viveremos dias melhores.
Então não perca tempo, aproveite seu tempo!

Pra Você – 22.06

QUATRO PILARES PARA UMA VIDA SAUDÁVEL

(porque hoje é segunda-feira...)

 

Atividade Física

Não necessariamente frequentar academia ou praticar esporte, mas também

Caminhada

Cuidar do jardim

Alongamento.

 

Diálogo frequente

Com uma pessoa de confiança da família, mas também

Um amigo

Um profissional da saúde: médico, psicólogo,

Padre.

 

Aprendizagem constante

Não necessariamente frequentar escola, mas também

Ler

Assistir palestras, documentários, concertos musicais,

Vídeos e entrevistas interessantes

 Aprender nova língua, música, computação, artesanato, desenho. 

 

Desenvolver  uma Espiritualidade Saudável

Rever a imagem que temos de Deus, mas também

Oração constante – louvor, agradecimento, súplica

Leitura Orante da Bíblia

Participar da comunidade, das celebrações.

Nunca parar, achando que já chegou ao limite, e

Quando tudo isso parecer não ter mais sentido,

Aí Precisaremos cultivar muito mais!

Pra Você – 21.06
12º Domingo do Tempo Comum


Antes de tudo é necessário fazer uma distinção entre
O Cuidado e o Medo.
Dois possíveis caminhos para enfrentar,
Ou não, nossa missão.
Em princípio, o primeiro é positivo, saudável,
O segundo é negativo, nocivo.
Enquanto o cuidado nos faz pessoas,
O medo neutraliza ou, no mínimo, dificulta o surgimento de um ser livre e maduro.
Ainda no século XVI Michel de Montaigne afirmava:
“Quem teme sofrer, já sofre o que teme”.
Medo, mediação, meio...
Medo é aquilo que criamos, mesmo inconscientemente, para enfrentar,
Ou deixar de enfrentar, o novo, os desafios, as possibilidades.
Por isso no Evangelho de hoje Jesus diz três vezes:
“Não tenhais medo”:
Dos homens, pois tudo será revelado,
Dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma,
Pois, valeis mais do que muitos pardais!
Jesus mesmo se coloca como nosso possível defensor,
Não simplesmente para ocorrer o que, como e quando desejamos.
Porém, se não houver decisão, ele nada pode fazer.
Depende de cada um.

Pra Você – 20.06
Imaculado Coração de Maria


Ontem foi a solenidade do Sagrado Coração de Jesus,
Hoje, o primeiro sábado posterior, é a memória do
Imaculado Coração de Maria.
Fundamentalmente o evangelista Lucas afirma:
“Maria guardava todas essas coisas em seu coração”.
Como no Sagrado Coração de Jesus, aqui há
Quatro elementos em seu simbolismo:
Coração externo, espada
(Referência também ao terceiro Evangelho,
No episódio do Velho Simeão no Templo),
rosas e fogo.
No ano de 1855, o Papa Pio IX aprovou a Missa e o Ofício
Próprios do Imaculado Coração de Maria.
Durante a Segunda Guerra Mundial, em 8 de dezembro de 1942,
Na Solenidade da Imaculada Conceição, o Papa Pio XII consagrou a Igreja e todo
O gênero humano ao Coração Imaculado de Maria, e,
Três anos depois, estendeu a festa para toda a Igreja Católica.
A partir das aparições de Nossa Senhora, em Fátima,
A devoção ganha ainda mais força.

Coração Imaculado de Maria, ensinai-nos a Vossa caridade!

(errata: no texto de ontem –  Ler: hoje, sexta-feira da primeira semana após Corpus Christi...)

Pra Você – 19.06
Sagrado Coração de Jesus


Hoje, a primeira sexta-feira após Corpus Christi, a Igreja celebra a Solenidade do
Sagrado Coração de Jesus.
Festa universalizada pelo Papa Pio IX, em 1856.
Amanhã será a vez do Imaculado Coração de Maria.
Seu simbolismo fala por si.
Coração externo -  vejam: nada a esconder, tudo a revelar.
Junto ao coração, a cruz, espinhos e chama.
Cruz não para lembrar sofrimento, mas
O limite, ou a loucura do amor divino por nós.
Espinhos, uma história verdadeira, não apenas ideais abstratos.
Chama, o que aquece e ilumina.
Santo Agostinho disse:
Quando São João deitou a cabeça sobre peito de Cristo
Bebeu segredos sublimes das profundidades mais íntimas
De Nosso Senhor.

Pra Você – 18.06
Oração Cristã com a Criação
Papa Francisco


Nós Vos louvamos, Pai,
com todas as vossas criaturas,
que saíram da vossa mão poderosa.
São vossas e estão repletas da vossa presença
e da vossa ternura.
Louvado sejais!
Filho de Deus, Jesus,
por Vós foram criadas todas as coisas.
Fostes formado no seio materno de Maria,
fizestes-Vos parte desta terra,
e contemplastes este mundo
com olhos humanos.
Hoje estais vivo em cada criatura
com a vossa glória de ressuscitado.
Louvado sejais!
Espírito Santo, que, com a vossa luz,
guiais este mundo para o amor do Pai
e acompanhais o gemido da criação,
Vós viveis também nos nossos corações
a fim de nos impelir para o bem.
Louvado sejais!
Senhor Deus, Uno e Trino,
comunidade estupenda de amor infinito,
ensinai-nos a contemplar-Vos
na beleza do universo,
onde tudo nos fala de Vós.
Despertai o nosso louvor e a nossa gratidão
por cada ser que criastes.
Dai-nos a graça de nos sentirmos
intimamente unidos
a tudo o que existe.
Deus de amor,
mostrai-nos o nosso lugar neste mundo
como instrumentos do vosso carinho
por todos os seres desta terra,
porque nem um deles sequer
é esquecido por Vós.
Iluminai os donos do poder e do dinheiro
para que não caiam no pecado da indiferença,
amem o bem comum, promovam os fracos,
e cuidem deste mundo que habitamos.
Os pobres e a terra estão bradando:
Senhor, tomai-nos
sob o vosso poder e a vossa luz,
para proteger cada vida,
para preparar um futuro melhor,
para que venha o vosso Reino
de justiça, paz, amor e beleza.
Louvado sejais!
Amém.

Pra Você – 17.06
Jesus: seus gestos e suas atitudes!
(Para acompanhar o programa “Caminhos da Fé” – Nº 114)

 

  • Primeiramente é bom entender a diferença entre gestos (pontuais) e atitudes (articuladas). Os primeiros podem ser isolados e as segundas, fruto de uma escolha, uma opção. As atitudes se manifestam através de gestos, mas nem todo gesto revela a verdade de uma atitude.

 

  • Quatro atitudes de Jesus: 1. Sua encarnação e estilo de vida, 2.  Vida em comunidade, 3. Acolhimento aos pequenos e desprezados e 4.  Seus milagres.

 

  • Paulo afirma que Jesus “nasceu de mulher, sujeito à lei” (Gl 4,4) e os Evangelhos de Mateus e Lucas apresentam sua genealogia (muitas gerações, incluindo mulheres estrangeiras e pecadoras). Aos 12 anos (época da emancipação do menino) era obediente a seus pais, porém sempre manso, dando razões pelas quais levavam a agir como agia. Sendo assim, valorizou nossa história. “foi provado em tudo, à nossa semelhança, sem, todavia pecar” (Hb 4, 15).

 

  • Ele viveu em comunidade. Após ter escolhido os doze, deu-lhes a missão: para que ficassem com ele, pregassem, curassem os enfermos e expulsassem os demônios (Mc 3, 13 – 19). Uma atitude de confiança e descentralização de poder. Certa vez também declarou que quem não estivesse contra ele, estaria a seu favor (Mc 9, 40). Por fim, foi um homem sociável: frequentou casas (em Betânia, a de Zaqueu e muitas outras), foi às festas, incluindo aí seu primeiro sinal (milagre), (Jo 2, 1 - 12).Mais que tolerante, ele acolheu pecadores, mulheres, crianças, mas, também escrib as que t inham retos corações e buscavam algo a mais (Mc 12, 28 - 34), samaritanos (inimigos dos judeus, cf. Jo 4, 1 - 30). Via em todos eles filhos do mesmo Pai, irmãos seus.

 

  • Por fim, realizou milagres, que são, antes de tudo, “gestos pedagógicos” que revelam misericórdia, ou seja, o milagre acontecia não porque alguém era merecedor, e os demais, não. Os milagres confirmam e ilustram o que ele ensinava: “sou a luz do mundo” (o cego foi curado), “sou o pão da vida” (a “multiplicação” dos pães), “sou o caminho”

Pra Você – 16.06
Pra Você...


Foi num momento de inspiração, ou quase isso,
Mais precisamente num momento de oração, que
Veio a ideia e o desejo de enviar alguns textos para a reflexão
Enquanto estivéssemos nos “isolamento social”.
Alguns seriam originais, outros compilados
Do que outrora,
Havia servido de apoio pessoal, ou mesmo de apoio para grupos
Em retiros, encontros, seminários.
Em princípio seriam poucos de variados assuntos.
O tempo passou, e hoje
Estamos completando o nonagésimo envio
“Pra Você ler, meditar e compartilhar”.
Tornou-se uma verdadeira rede entre amigos e pessoas que
Partilham de um sonho, de um mundo melhor.
Textos curtos, mas cheios de significado.
A correria do dia a dia e o ativismo deixam a
Vida superficial e pesada.
Quando podemos parar, refletir, contemplar,
Paradoxalmente, tudo se torna denso e leve.
Fabricamos beleza!
Espero assim, estar contribuindo de alguma forma
Para que seus dias sejam um pouco melhores,
Um pouco mais densos e um pouco mais leves...

Pra Você – 15.06
Possibilidades
Elisabeth Lukas


“As possibilidades (da mesma forma que o dinheiro) em si mesmas
São ineficazes e só se tornam eficazes pela sua realização.
Necessitam que alguém lhes torne realidade.
Nossa possibilidade de assassinar alguém não mata ninguém.
Nossa possibilidade de fazer companhia a alguém
Não tira ninguém da solidão.
Somente as possibilidades de sentido aproveitadas e levadas à prática
No tempo certo realizam o sentido”.

Pra Você – 14.06
11º Domingo do Tempo Comum


Diz o ditado: “Momentos graves, momentos grávidos!”
Hoje se fala em inteligência emocional e até mesmo da inteligência Espiritual – “Q.Es”
Essas se manifestam, sobretudo, em momentos de crise e de dificuldades.
Não podemos esperar a crise passar para tornar a viver.
E se demorar, e consumir todas as energias? E se ela não passar?
A dificuldade deve ser a oportunidade para um início, para uma criatividade...
Jesus viu uma multidão cansada e abatida. Precisava tomar uma decisão, fazer algo.
“A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos”
Chamou para lhe ajudar alguns dentre seus discípulos, os quais foram chamados de apóstolos.
Pelo menos três deles são adjetivados: Mateus, o Publicano (cobrador de impostos);
Simão, o Zelota (guerrilheiro) e Judas, o traidor (dispensa comentários).
Eram os que Jesus podia contar, fazer o que?
Afinal, as pessoas amadurecem, a Graça trabalha o caráter. Todos têm sua chance.
E as orientações foram dadas: Ir até às ovelhas perdidas, pregar (O Reino de Deus),
curar os doentes (o corpo), expulsar os demônios (curar a alma).
“De graça recebestes, de graça deveis dar!”

Pra Você – 13.06
Oração Pela Nossa Terra
Papa Francisco


Deus Onipotente,
que estais presente em todo o universo
e na mais pequenina das vossas criaturas,
Vós que envolveis com a vossa ternura
tudo o que existe,
derramai em nós a força do vosso amor
para cuidarmos da vida e da beleza.
Inundai-nos de paz,
para que vivamos como irmãos e irmãs
sem prejudicar ninguém.
Ó Deus dos pobres,
ajudai-nos a resgatar
os abandonados e esquecidos desta Terra
que valem tanto aos vossos olhos.
Curai a nossa vida,
para que protejamos o mundo
e não o depredemos,
para que semeemos beleza
e não poluição nem destruição.
Tocai os corações
daqueles que buscam apenas benefícios
à custa dos pobres e da Terra.
Ensinai-nos a descobrir o valor de cada coisa,
a contemplar com encanto,
a reconhecer que estamos profundamente unidos
com todas as criaturas
no nosso caminho para a vossa luz infinita.
Obrigado porque estais conosco todos os dias.
Sustentai-nos, por favor, na nossa luta
pela justiça, o amor e a paz.

Pra Você –12.06
Ajuda-me Senhor

Gustav Lohmam e Markus Jenny

Ajuda-me, Senhor da minha vida,
Para que eu não passe em vão
Por este mundo.

Ajuda-me, Senhor de meus dias,
Para que eu não seja um peso
Para o meu próximo.

Ajuda-me, Senhor das minhas horas,
Para que eu não fique preso
A mim mesmo.

Ajuda-me Senhor da minha alma,
Para que eu não falte
Onde sou necessário.

(Hoje dia dos namorados, a todos nossas orações e torcida para que sejam
felizes, façam seus familiares e amigos igualmente felizes. Deus os abençoe)

 

Pra Você –11.06
Pão de eternidade!
(Corpus Christi)


Jesus disse: “Eu sou o pão da vida!” (Jo 6, 35)

Para ser pão é preciso primeiro ser trigo,
Crescer e deixar ser colhido.
Ser triturado e amassado.
Depois, passado pelo forno.

Para ser pão é preciso querer
Estar nas mesas e nos altares.
Ser saboreado pelos santos e
Pelos que ainda não entendem
Essa grandeza de vida.

Para ser pão é preciso querer
Que o mundo seja melhor,
Que tudo valha a pena.
Que não haja privilegiados,
Muito menos excluídos.

Para ser pão é preciso querer
Que a vida aconteça.
Que ela comece aqui e agora,
Mas não termine nem aqui, nem agora.

Pra Você –10.06
Jesus: sua proposta e suas palavras
(Para acompanhar o programa “Caminhos da Fé” – Nº 113)

 

  • Algumas vezes Jesus fora chamado de Profeta (Cf. Mc 6, 1 -6 ), de fato ele foi um grande comunicador do Pai. Um missionário. Porém, foi muito mais do que isso;

 

  • Basicamente tinha dois métodos para se comunicar:

 

  1. Com as multidões – usava Parábolas, ou seja, histórias simples tiradas do dia a dia da vida comum na Galileia: falava de trigo, joio, fermento, sal, lâmpada, aves. Contudo, atrás dessa aparente simplicidade, ensinava coisas profundas e necessárias. Quanto mais importante, mais simples eram suas palavras. Até as crianças compreendiam (Cf. Mt  13);

  2. Com os discípulos mais próximos – falava abertamente, chegando algumas vezes a escandaliza-los ( Cf.  Mt 19, 10);

 

  • Não tinha lugar nem ocasião especial para ensinar, podia ser na Sinagoga, mas também a beira mar, nas montanhas, nas casas que frequentava, na Cruz, a qual fora pregado e, depois, como ressuscitado;

 

  • Todo seu ensinamento pode ser resumido numa expressão: “O Reino de Deus”, ou seja, uma realidade iniciada por ele, prefigurada pelo Antigo Testamento, que hoje em dia está em pleno desenvolvimento, e só terá seu cume no fim dos tempos;

 

  • Algumas verdades do Reino:

 

  1. Deus é Pai e Senhor misericordioso

  2. Somos todos irmãos, uma só família, sem nenhuma distinção ou exclusão

  3. O amor, manifestado pelo acolhimento e perdão é a dinâmica que move o Reino

  4. A natureza de alguma forma participa desse projeto

  5. O céu será nossa casa definitiva, nele há muitas moradas, senão, ele já nos teria dito (Cf. Jo 14, 1 – 23)

  6. Ele veio não para condenar, mas para salvar, a final “é o doente que precisa do médico” e “há mais alegria por um só que se converte do que cem justos”. (Cf. Mc 2, 17)

 

  • Sua palavra precisa ser conhecida, estudada em comunidade, acreditada e praticada. Caso contrário, seremos como o insensato que constrói sua casa sobre a areia (Cf. Mt 7, 24 – 27)

Pra Você – 08.06
Prazer, Felicidade e Alegria.
(Em três partes – A terceira)


ALEGRIA

Legitimidade:

  • É Interior e profunda, porém leva ao engajamento e ao compromisso

  • Não depende das circunstâncias, como saúde, situação  financeira, acompanhantes, sucesso

  • Frequentemente manifestada como paz, segurança e amadurecimento

  • É Espiritual, mais do que religiosa. É dom de Deus

“Deus em nós!”

Estar atento:

  • Deve englobar as demais dimensões: o prazer e a felicidade – é integrativa,

Não exclusiva.

  • Sendo processo está sujeita a recaídas devido:

a) descuidos pessoais, inclusive autossuficiência
b) pressão do meio e circunstâncias
(lembrar a parábola dos Talentos)
c) “Noite Escura” – a partir do próprio Deus

  • É também provisória, pois é antecipação da “Visão beatífica”, o céu,

O único definitivo.

Pra Você – 07.06

Solenidade da Santíssima Trindade

Retomo neste domingo o pensamento de um filósofo
Do século passado, Emmanuel Levinas, morto em 1995.
Ele fala de duas formas de viver:
Totalidade e Infinito.
A Primeira baseia-se no “mesmo”, a segunda, no “outro”.
Quem é totalitário na verdade não se considera bom e quer que todos sejam como ele.
No fundo, se sente frágil, e teme a grandeza do outro.
Assim, pode ser um pai, uma mãe, ou mesmo um filho.
Pode ser um chefe, um padre, um governante.
Quem vive na dimensão do “infinito”
Não teme a beleza e a grandeza do outro. Interage sempre.
Aprende, colabora, alegra-se e não se intimida.
O amor é infinito. Pauta-se pelo “rosto”:
A individualidade e situação de cada um.
Assim é Deus Trindade.
O Pai, mesmo sendo da mesma natureza,
É diferente, e  ama o Filho.
O mesmo acontece em relação ao Espirito Santo
Que também é pessoa, e é diferente de ambos.
O cristão somente será Imagem e semelhança de Deus
Tendo relações de alteridade, de infinito.
Não pode um cristão ser totalitário. 
Oração para a Comunhão Espiritual – S. Afonso (Para a celebração da Missa)
“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós”.

Pra Você – 06.06
Prazer, Felicidade e Alegria.
(Em três partes – A segunda)

 

  1. FELICIDADE

Legitimidade:

  • Mais difícil de obter, porém, mais consciente e duradoura que o prazer

  • Resultado de um esforço, uma conquista – demanda tempo e perseverança

  • Um “estágio”, mais do que um “estado”

  • Pode - deveria ser, compartilhada: comunitária e socialmente


Estar atento:

  • Pode trazer a sensação de autossuficiência (uma conquista, um troféu):

  • Tanto em nível pessoal ou grupal – “somos os melhores!”

  • Saber que é um processo: é inconclusa, traz certa insatisfação

  • Ainda não é tudo o que se pode esperar da vida

  • Pode ser uma prioridade, mas não uma exclusividade.

 

Pra Você – 05.06
Prazer, Felicidade e Alegria.
(Em três partes – A Primeira)

 

  1. PRAZER

Legitimidade:

  • Todos precisam e devem experimenta-lo: crianças, jovens, idosos, homens, mulheres, solteiros, casados, padres...

  • Não se restringe à sexualidade, mas também está relacionado à satisfação: da sede, da fome, do cheiro, do sono, do conhecimento de outras pessoas, e... porque não, a sexualidade

  • Satisfação de uma necessidade física

  • Não é pecado. Seu desvirtuamento, sim é pecado: prazer pelo prazer, como causa e não consequência – “Hedonismo”

  • É obtido de forma mais imediata, porém, é passageiro.


Estar atento:

  • Ser apenas uma satisfação individual e indiferença pelo outro. Este é reduzido a simples objeto, um meio

  • Predomínio da aparência (superfície) em relação à realidade (mais densa) – estética e consumo e, às vezes, dispensa da Ética

  • “Inclusão perversa”: O sistema econômico quer que todos o desfrutem, mesmo, ou principalmente, causando dependência

  • Falsa satisfação – necessidade cada vez maior. Torna-se compulsão

Pra Você – 04.06
O MELHOR JEJUM
Papa Francisco


Jejum de palavras negativas e dizer palavras bondosas.
Jejum de descontentamento e encher-se de gratidão.
Jejum de raiva e encher-se com mansidão e paciência.
Jejum de pessimismo e encher-se de esperança e otimismo.
Jejum de preocupações e encher-se de confiança em Deus
Jejum de queixas e encher-se com as coisas simples da vida
Jejum de tensões e  encher-se com orações.
Jejum de amargura e tristeza e encher o coração de alegria.
Jejum de egoísmo e encher-se com compaixão pelos outros.
Jejum de falta de perdão e encher-se  de reconciliação.
Jejum de palavras e encher-se de silêncio para ouvir os outros.

Pra Você – 03.06
Jesus: Sua Terra, sua Gente.
(Para acompanhar  hoje o programa “Caminhos da Fé”)

A TERRA

  • Jesus nasceu em Israel, ou conforme  os Romanos,  a Síria “Palestina”;

  • Um país pequeno: de 20 a 22 Mil Km², mais ou menos do tamanho do Estado de Sergipe;

  • Faz limite com o Líbano, a Síria, a Cisjordânia, a Jordânia, o  Egito e o Mar Mediterrâneo;

  • Jesus passou a maior parte de sua vida na região da Galileia: mais fértil que o Sul (desértico);

  • Sua cidade, ou melhor, aldeia foi Nazaré: de 200 a 400 habitantes, que fica cerca de 126 Km de Jerusalém. Após o seu Batismo muda-se para Cafarnaum.

  • Israel tem dois Mares Galileia (Norte – água doce, 21 Km de comprimento) e Morto (Sul, água muito salgada – 50 Km). Ambos são ligados pelo Rio Jordão (pouco mais de 200 Km de extensão).


A SOCIEDADE
 

  • A língua falada era o Aramaico, substituto do Hebraico (a partir do séc. VI a. C). Esta uma língua sagrada. Havia também presença da língua Grega e do Latim;

  • As casas eram simples: paredes escuras, telhados confeccionados de palha e barro; piso de terra batida. Na Galileia a vida era basicamente rural. Isto terá uma influência na vida de Jesus;

  • Os meninos, quando ainda criança, eram educados pela mãe, depois, pelo pai;

  • Era uma sociedade patriarcal, cujo valor da mulher estava na procriação e no trabalho do lar.


A RELIGIÃO
 

  • Em Nazaré certamente era cultivada uma piedade profunda de caráter familiar, diferente a da Judeia, intensamente marcada pelo Templo. Porém, na aldeia havia uma pequena Sinagoga;

  • Sábado era sagrado, dia do descanso;

  • Havia várias e importantes festas:

  1. No outono

Rosh Há-Sahaná – Ano Novo
Yom Kippur – Expiação dos pecados
Tendas

  1. Primavera

Pesach – Páscoa
Pentecostes – Aliança e Sinai.

  A POLÍTICA
 

  • O País era dominado pelo Império Romano desde o ano 63 a.C;

  • Quando  Jesus nasceu  Herodes, o Grande, era o rei, e o Imperador, César Augusto (governou entre 27 a.C e  14 d.C). Na sua morte, o rei era Herodes Antipas, um dos filhos de Herodes I, e o Imperador, Tibério (de 14 a 37 d.C);

  • Roma permitia certa liberdade religiosa e cultural, mediante a cobrança de pesados impostos cobrados pelos publicanos.

  • Houve diversas rebeliões por parte dos judeus em busca de libertação.

Pra Você – 02.06

DEFICIÊNCIAS

 Mario Quintana


"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida,
Aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive,
Sem ter consciência de que é dono do seu destino.
"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.
"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria,
E só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo,
Ou o apelo de um irmão,
Pois está sempre apressado para o trabalho,
E quer garantir seus tostões no fim do mês.
"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e
Se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
"Paralítico" é quem não consegue andar
Na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
"Diabético" é quem não consegue ser doce.
"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
"Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.
"A amizade é um amor que nunca morre."
 

Pra Você – 01.06.20
NA LITURGIA


A Igreja retorna hoje ao “Tempo comum”.
Estamos na Nona Semana (ao todo são trinta e quatro).
Apesar do nome, não é um tempo menos importante.
É o tempo da perseverança e do amadurecimento.
Nas celebrações usa-se o verde,
Cor que também lembra a esperança.
Durante o período comemoraremos os santos, e, especialmente,
Maria, a santa por excelência.
No Tempo comum meditamos a vida pública de Jesus,
Seu tempo e contexto, suas palavras,
E também suas ações e atitudes.
Do contexto, além da Geografia Física – Israel, Mares, Rio Jordão,
Aprofundamos o conhecimento dos costumes, valores pessoais e sociais
De seus conterrâneos.
Especialmente a Política e Religião, os grupos e suas tendências.
Das palavras de Jesus, lembramos sua proposta fundamental:
“O Reino de Deus”.
Das atitudes, não só os milagres - gestos pedagógicos e reveladores,
Mas, sua opção de viver em comunidade com os apóstolos,
Misericordioso com os pecadores, acolhedor com os pequenos e pobres,
Porém, Crítico e severo com os Fariseus e os Doutores da Lei.
O ministério público de Jesus deve ser visto entre dois eventos basilares:
Sua encarnação e sua morte e ressurreição.
Isolar uma coisa da outra é mutilar o Plano de Deus, e,
Escolher apenas o que nos interessa, e, potencialmente, acomoda.

Pra Você –31.05.20

PENTECOSTES

As leituras deste domingo, Solenidade de Pentecostes,
Nos chamam a atenção para três aspectos.
O Primeiro é que Jesus havia prometido enviar, junto do Pai, o Paráclito,
ou seja, o outro defensor.
Agora ele cumpre aquilo que havia dito.
Por isso, o Evangelho diz que Jesus ficou no meio, no centro deles.
Por outro lado, mesmo as portas estando fechadas, por medo,
Os discípulos, ao seu modo, estavam reunidos.
Eles confiaram naquela promessa.
Uma verdadeira interação entre amigos.
Segundo aspecto, foi o dia em que tudo aconteceu.
Era um domingo, o primeiro dia da semana – abertura de um novo período,
Na história dos discípulos, da Igreja e de toda a humanidade.
Não se trata de um final de jornada, ou de um prêmio dado,
Mas de um início de missão.
Por fim, o relato é tratado como uma Teofania,
Ou seja, uma manifestação extraordinária da parte de Deus –
Barulho, ventania, línguas de fogo.
Contudo, a experiência foi na vida pessoal e comunitária.
Esse é mais um motivo para que haja credibilidade de que
Pentecostes foi real,
E não apenas uma questão de interpretação, ou de uma simples construção literária.
Mais do que nunca precisamos de Pentecostes!

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

NONO DIA – 30.05

(09:00 - acompanhe pelo Facebook da Paróquia N. S. do Carmo)

 

Tema: O Dom do Temor a Deus

 

O dom do temor de Deus nos leva a amá-Lo tão profundamente que tenhamos receio de ofendê-Lo. Nada tem a ver com o temor do mercenário ou o temor do castigo (do escravo); mas é o temor do amor do filho. Esse dom está também ligado à virtude da humildade, que nos faz conhecer nossa miséria, impede a presunção e a vã glória. Ele se liga também à virtude da temperança; combate a concupiscência e os impulsos desordenados do coração.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada

 

Texto Inspirador

Ler:  Dt 6, 4 – 7

Reflexão

 

O verdadeiro amor a Deus nos faz mais próximos a Ele, mas também nos faz ser melhores e querer igualmente o bem do outro. Este dom impede que usemos em vão o nome de Deus, mas que tenhamos sentimentos parecidos com os de Jesus. O cristianismo definitivamente é uma escola de amor.

Amo ou tenho medo de Deus? Temo ser castigado, como se fosse um simples escravo, ou amo como é próprio dos filhos queridos?

Em que o amor a Deus tem me feito melhor? Lembrar situações que possam ilustrar a resposta dada.

Como posso ajudar o outro a entender e a vivenciar este dom?

Litânia – oração anexa já enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

OITAVO DIA – 29.05

(09:00 - acompanhe pelo Facebook da Paróquia N. S. do Carmo)

 

Tema: O Dom da Piedade

 

O Espírito Santo, mediante o dom da piedade, nos faz, como filhos adotivos de Deus, reconhece-lo como Pai, assim como Jesus, que o chamava de “Abba” - papai. E, pelo fato de reconhecermos Deus como Pai, consideramos as criaturas com novo olhar.  É o dom da piedade que leva os santos a desejar, acima de tudo, a honra e a glória de Deus.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada

Texto Inspirador

Ler:  Rm 8, 14 - 17

Reflexão

 

Somente Jesus é o Filho, aquele que foi gerado e não criado. Porém, através do Batismo, e pedindo o dom da Piedade nos tornamos e  nos sentimos verdadeiros filhos e co-herdeiros de Cristo. Consequentemente nos sentimos irmãos de toda criatura.

O dom da piedade nos faz sentir filhos queridos de Deus. Amados profundamente por Ele. Tenho essa convicção, ou trato a Deus como um distante, mais transparecendo medo que amor?

O dom da Piedade nos faz entender porque rezamos a oração que o Senhor nos ensinou chamando Deus de “Pai Nosso”. Pai de todos. Somos irmãos. Tenho essa consciência e vivo suas consequências? Como?

Para mim o que é mais difícil: chamar Deus de Pai, ou ver o outro como irmão? Uma coisa não deveria levar a outra?

Litânia – oração anexa já enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

SÉTIMO DIA – 28.05

(09:00 - acompanhe pelo Facebook da Paróquia N. S. do Carmo)

 

Tema: O Dom do Entendimento

 

O dom do entendimento ou da inteligência nos ajuda a penetrar no íntimo das verdades reveladas por Deus e entendê-las. Por ele o cristão contempla os mistérios da fé. Por esse dom também conhecemos os nossos pecados e a nossa miséria. Jesus é o ápice de toda a revelação, e compreender sua palavra nos basta.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada

Texto Inspirador

Ler:  João 15, 12 - 17

Reflexão

 

O dom do entendimento nos faz compreender que temos um Deus (Jesus) que não nos quer como servos, mas como amigos. Isso é iniciativa dele. Tudo o que ele sabia e contribui para a nossa salvação ele nos deu a conhecer.

Leio a Bíblia e a medito diariamente? Faço dela meu maior instrumento de oração?

Somos capazes de compreender tudo o que Jesus nos revelou. Ela falava às multidões através de parábolas. Tenho abertura e confiança nas palavras e promessas de Jesus? Relembre alguns fatos que demonstram essa realidade.

Podemos ser “muito religiosos e pouco cristãos”. Minhas práticas devocionais ajudam a robustecer a fé, a vida em comunitária e a caridade?

Litânia – oração anexa já enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

SEXTO DIA – 27.05

(08:30 - acompanhe pelo Facebook da Rádio Sintonia FM 104,9)

 

Tema: O Dom do Conselho

 

O dom do conselho permite ao cristão tomar as decisões oportunas nas horas difíceis da vida, para que se comporte como verdadeiro filho de Deus.  Nos ajuda também a sermos bons conselheiros, guiando o irmão pelo caminho do bem.  Enfim, é ter o discernimento e ajudar o outro nesse mesmo sentido.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada

 

Texto Inspirador

Ler:  Lc 12, 54 – 57

Reflexão

 

A vida sempre nos pede escolhas e tomadas de decisão, às vezes em situações banais, outras, que marcarão profundamente nossas existências. Toda decisão pessoal, de alguma forma, compromete também aqueles que estão ao nosso lado, um grupo maior de pessoas, seja família, amigos ou sociedade.

Tenho hábito de “fazer discernimento” antes de tomar decisões? Quais os meios que utilizo para isso?

Sou perseverante nas decisões e grato a Deus quando as coisas são bem encaminhadas?

Como tenho auxiliado as pessoas a tomar decisões? Respeito a liberdade de cada um, ou imponho minhas expectativas e medos sobre elas?

Litânia – oração anexa já enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

QUINTO DIA – 26.05

(9 h - acompanhe pelo Facebook da Paróquia)

 

Tema: O Dom da Ciência

 

O dom da ciência faz que penetremos na realidade deste mundo sob a luz de Deus; vejamos cada criatura como reflexo da sabedoria do Criador e como caminho a Deus. Leva o homem a compreender o vestígio de Deus que há em cada ser criado. Todo o saber vem de Deus.  Temos talentos, e deles não nos devemos orgulhar, porque de Deus é que os recebemos.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada

Texto Inspirador

Ler: Colossenses 2, 6 - 10

Reflexão

 

A ciência e a tecnologia, enfim todo saber humano é Graça de Deus. Sem Ele nada somos, nada podemos. Porém, a humanidade deve tomar cuidado para que não caia no orgulho, na vaidade e na autossuficiência. Não se deve usar o conhecimento para o enriquecimento em detrimento de “pobres cada vez mais pobres”, de nação pisando sobre nações.

 

Buscar conhecimento e colocá-lo a serviço da vida é dom de Deus. Como estou vivenciando esse princípio (busca e partilha de conhecimento inspiradas pela fé)?

 

Como os cristãos de forma geral podem se colocar a serviço da vida, pedindo e utilizando o dom da ciência?

 

Como a Igreja enquanto Instituição presente em todo o mundo, portadora deste dom, pode iluminar e participar da construção de um mundo justo e fraterno? 

Litânia – oração anexa já enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

QUARTO DIA – 25.05

(9 h - acompanhe pelo Facebook da Paróquia)

 

Tema: O Dom da Sabedoria

 

Só Deus é sabedoria plena, Ele conhece o passado, o presente e também o futuro. Sabe as coisas manifestas e as ocultas. Precisamos da Sabedoria divina não para sabermos o que Deus sabe, mas para sabermos que só Ele sabe e, assim,  alcançarmos, agora, a paz, e, no futuro, a salvação. Este dom, como os demais, não brota de baixo para cima, isto é, não é o resultado do esforço humano, mas é um presente vindo do alto.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada

 

Texto Inspirador

Ler Mateus 11, 25 – 30

Reflexão

 

Os Doutores da Lei e os Fariseus eram admirados  pelo conhecimento das Sagradas Escrituras. Porém, sabiam, mas não viviam, cobravam, mas não praticavam. Por outro lado os simples, “as crianças” e os pecadores eram atraídos a Jesus e tinham seus corações transformados.

A Palavra de Jesus tem sido luz em minha vida? Quais situações concretas posso recordar que demonstram ser isso verdadeiro?

Tenho a tentação de me comparar aos outros, na tentativa de me considerar mais santo, mais sábio, merecedor dos favores divinos?

Também pode acontecer o inverso, posso pecar pela falsa modéstia, achar que nada sei e nada posso. Como me avalio nesse sentido?

Litânia – oração anexa já enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

TERCEIRO DIA – 24.05

 

Tema: O Dom da Fortaleza

São muitos, infinitos os dons do Espírito Santo. O número 7 (sete) é simbólico, o que na Bíblia representa a perfeição. Os dons que iremos refletir a partir de hoje nesta novena se referem, sobretudo, a uma passagem do profeta Isaias, quando o Messias é prometido à humanidade. Iniciamos pelo dom da Fortaleza.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada

 

Texto Inspirador

Ler: Isaias 11, 1 - 9

Reflexão

Deus nos propicia a coragem necessária para enfrentarmos as tentações, a vulnerabilidade diante das circunstâncias da vida e também firmeza de caráter nas perseguições e tribulações causadas por nosso testemunho cristão.

Jesus foi aquele que realizou o sonho de Deus profetizado pelo profeta Isaías. Num momento de silêncio relembre passagens da vida de Jesus que demonstram a cumprimento dessas promessas.

Em minha vida pessoal como tenho vivenciado o dom da Fortaleza?

Na comunidade a qual pertenço há testemunhas de Fortaleza? Faça memória, agradeça e reze pela perseverança daqueles que são exemplos concretos desse dom.

Litânia – oração anexa já enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES

SEGUNDO DIA – 23.05

(9 h - acompanhe pelo Facebook da Paróquia)

Tema: O Espirito Santo no Segundo Testamento

 

Jesus é o pleno do Espírito Santo, O Cristo, isto é, o Ungido. Na cruz ele entrega/devolve o Espírito Àquele de quem recebera: “Pai em tuas mãos entrego meu espírito”. O Pai recebe de bom grado, porém, em Pentecostes aquilo que era prerrogativa de Jesus é derramado sobre toda a humanidade. Hoje podemos ser guiados como Jesus. Contudo, é necessário querer e se abrir a esse mistério.

Veni creator Spiritus - Oração anexa enviada

 

Texto Inspirador

Ler: Lucas 4, 16 - 21

Reflexão

 

A ação do Espírito é interior, Ele é “hóspede da alma”. Porém, ela se revela nas  atitudes e na postura de vida do cristão, exatamente como foi em Jesus de Nazaré. Caso isso não ocorra, se engana quem afirma nela crer.

Qual a mensagem do texto de Lucas para a minha vida?

Por que nossas obras acabam sendo muitas vezes tão diferentes das obras de Jesus, mesmo tendo a Igreja e a humanidade recebido, em Pentecostes, o Espírito Santo?

Quais obras que o mundo hoje precisa ver naqueles que são batizados e crismados?

Litânia – oração anexa enviada

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final


NOVENA PREPARATÓRIA PARA PENTECOSTES
PRIMEIRO DIA
(acompanhe pelo Facebook da Paróquia)

Tema: O Espirito Santo no Primeiro Testamento

O Espirito Santo já se faz presente nas primeiras páginas das Sagradas Escrituras, pois, elas nos ensinam que na criação, “Ele pairava sobre as águas”. Esteve também presente na vida dos patriarcas e dos profetas de Israel. Na literatura Sapiencial – Salmos, Livro da Sabedoria, do Eclesiástico... é enaltecido. É Ele quem conduz, inspira e fortalece homens e mulheres, cria o senso de pertença a um povo, o povo de Deus, faz romper as prisões e encaminha a história para o Emanuel.

Veni creator Spiritus - Oração anexa já enviada (em 21.05)

 

Texto Inspirador
Ler: Ezequiel 37, 1 - 14

Reflexão


Os Profetas inicialmente denunciam, porém, quando o mal se torna inevitável, não ficam dizendo que já haviam avisado e que ninguém os escutou. Agora é o tempo da consolação e de esperança, pois, em seguida, virá o tempo de se reerguer e de reconstruir. Os profetas se fazem presentes em todo o tempo.

O que mais me chamou a atenção no texto do Profeta Ezequiel. Por quê?

Sou capaz de deixar o Espírito Santo guiar meus passos no dia a dia? Quais os sinais de que isso é verdadeiro?

A comunidade da qual pertenço deixa ser, de fato, guiada pelo Espírito Santo? Relembrar situações que demonstram essa realidade.

Litânia – oração anexa já enviada (em 21.05)

Pai Nosso/Ave Maria

Bênção Final

​​

Pra Você –21.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
PENTECOSTES 2020 - NOVENA PREPARATÓRIA


Oração para todos os dias
De 22 a 29.05.20
Veni Creator Spiritus! 
(Vem, Espírito Criador!)
 
Vinde Espírito Criador, a nossa alma visitai,
e enchei os corações com vossos dons celestiais.
Vós sois chamado o Intercessor de Deus excelso dom sem par,
a fonte viva, o fogo, o amor, a unção divina e salutar.
Sois o doador dos sete dons e sois poder na mão do Pai,
por Ele prometido a nós, por nós seus feitos proclamai.
A nossa mente iluminai, os corações enchei de amor,
nossa fraqueza encorajai, qual força eterna e protetor.
Nosso inimigo repeli, e concedei-nos a vossa paz,
se pela graça nos guiais, o mal deixamos para trás.
Ao Pai e ao Filho Salvador, por vós possamos conhecer
que procedeis do Seu amor, fazei-nos sempre firmes crer.
Amém!
Na hora da provação e desorientação
R. Concedei-nos o Vosso Espírito, Senhor.
Na tentação e na fragilidade
No combate contra o mal e o pecado
Na busca do verdadeiro bem e da verdadeira alegria
Na decisão de permanecer em vós e na vossa amizade.

Pra Você –20.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
FAMÍLIA, LUGAR DE PERDÃO.
Papa Francisco


Não existe família perfeita.
Não temos pais perfeitos, não somos perfeitos,
Não nos casamos com uma pessoa perfeita,
Nem temos filhos perfeitos.
Temos queixas uns dos outros.
Decepcionamos uns aos outros.
Por isso, não há casamento saudável, nem família saudável sem o exercício do perdão.
O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual.
Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas.
Sem perdão a família adoece.
O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração.
Quem não perdoa não tem paz na alma nem comunhão com Deus.
A mágoa é um veneno que intoxica e mata.
Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia.
Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente.
É por isso que a família precisa ser lugar de vida e não de morte;
Território de cura e não de adoecimento;
Palco de perdão e não de culpa.
O perdão traz alegria onde a mágoa produziu tristeza;
Cura, onde a mágoa causou doença.

 

Pra Você –19.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Otimismo
Charles Chaplin


Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer
antes que o relógio marque meia noite.
É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.
Posso reclamar porque está chovendo,
ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro,
ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças,
evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde,
ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais
por não terem me dado tudo o que eu queria,
ou posso ser grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter de ir trabalhar,
ou agradecer por ter trabalho.
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico,
ou agradecer a Deus.
Posso lamentar decepções com amigos,
ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não saíram como planejei
posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.
Tudo depende de mim.

Pra Você –18.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)


Não chore
Papa Francisco.
pelo que você perdeu,
lute pelo que você tem.
Não chore pelo que está morto,
lute por aquilo que nasceu em você.
Não chore por quem te abandonou,
lute por quem está a seu lado.
Não chore por quem te odeia,
lute por quem te quer feliz.
Não chore pelo teu passado,
lute pelo teu presente.
Não chore pelo teu sofrimento,
lute pela tua felicidade.
Não é fácil ser feliz,
temos que abrir mão de várias coisas,
fazer escolhas e ter coragem de assumir
ônus e bônus para ser feliz.
Com o tempo vamos aprendendo
que nada é impossível de solucionar,
apenas siga adiante com quem quer
e luta para estar com você.
Se engana quem acha que a riqueza e o status atraem a inveja...
as pessoas invejam mesmo é o sorriso fácil,
a luz própria,
a felicidade simples e sincera
e a paz interior...

Pra Você –16.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)

6º Domingo da Páscoa


O Amor
Há uma célebre discussão de qual o melhor caminho para se obter o conhecimento.
Uns julgam ser as Ciências, outros a Filosofia e, outros ainda, a Fé.
O melhor meio é, sem dúvida alguma, o amor.
O amor é privilégio dos que amadureceram.
É através dele que melhor conhecemos e a nós mesmos, o outro e a Deus.
O Evangelho de hoje, Jesus nos apresenta três caminhos para o amor.
O primeiro, a abertura ao Espírito Santo, o “Nosso Outro Defensor”.
O primeiro foi o próprio Jesus.
Na língua grega, “defensor” (paráclito) também significa: consolador,
Conselheiro, intercessor.
Ele deve penetrar o mais íntimo de nós e de nossos relacionamentos.
O segundo caminho, o conhecimento dos mandamentos de Deus.
Eles nos questionam, purificam e iluminam.
No domingo passado Jesus mesmo se apresentava como “caminho, verdade e vida”.
O terceiro, a busca e a vivência da verdade.
O mínimo que podemos oferecer a quem julgamos amar é uma
Vida íntegra, pautada na lealdade.
Sem nenhum ódio ou rancor.
O amor joga fora o temor. Onde há amor não há temor!
Santa Teresinha do Menino Jesus dizia:
“A dúvida já era impossível, já não havia mais necessidade da fé e da esperança.
O amor fazia-nos encontrar na terra aquele que buscávamos”.

Pra Você –15.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária
Conselho de Vó
Elena Mikhalkova


Minha avó uma vez me deu uma dica:
Em tempos difíceis, você avança em pequenos passos.
Faça o que você tem que fazer, mas pouco a pouco.
Não pense no futuro ou no que pode acontecer amanhã.
Lave os pratos. Tire o pó.
Escreva uma carta.
Faça uma sopa.
Entende?
Você está avançando passo a passo.
Dê um passo e pare.
Descanse um pouco.
Elogie-se.
Dê outro passo.
Então outro.
Você não notará, mas seus passos crescerão cada vez mais.
E chegará o momento em que você poderá pensar no futuro sem chorar.

Pra Você –14.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
UNIFICAR                                                                  
Pe. Dalton – CSSR


É preciso se conhecer. Saber de si.
Evitar os autoenganos. Dar-se conta das fragilidades.
Saber do próprio potencial e dos limites.
Ninguém é solidário se a cada passo se compara aos outros.
O mecanismo de comparação é que gera ciúme, inveja, fofocas.
Quem não se conhece vive em clima de ansiedade.
Agressivas são as pessoas que por um nada se imaginam ameaçadas.
Isolam-se as pessoas que não sabem lidar com os conflitos da vida.
Quem nada em agressividade vive na desconfiança de tudo.
É indispensável curar certas doenças do “euzinho”
Sempre reclamando de infelicidades.
Os sofrimentos inúteis provêm de não lidar com o que nos habita
E o que nos acontece. Por dentro, ora!
Fragilidades emocionais fragmentam nosso Ser.
Assim não dá para “permaneSer”. É perdição.
É preciso que cada pessoa afaste de seu interior a ansiedade,
O sentimento de vítima, a autodesvalorização.
Também é indispensável reconhecermo-nos beneficiados
Por pequenas surpresas boas. E agradecer e louvar.
E saborear as pequenas e grandes alegrias da vida.
Sempre há pessoas amigas, gente boa envolvida conosco nos caminhos.
Feliz de quem sabe alimentar a energia interior.
Saber dar passos unificadores é salvação.
Manter-se de pé face aos desafios nos transfigura e unifica.
Quem se unifica recebe a serenidade como herança. Vive a esperança.
Confia. Sabe alegrar-se
Quem se unifica conhece sintonia nos relacionamentos.
Conhece concordância nas coisas que valem a pena.
Conhece segurança em lidar com as dificuldades.
Pessoas assim unificadas, quando trabalham em Pastorais sabem conviver.
Na alegria de servir sempre abrem espaços novos.
Deixam que outros também trabalhem e se tornam solidárias nos projetos comuns.

 

Pra Você –12.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Somos Assim
Fiódor Dostoiévski/ Rubem Alves


Sonhamos com o voo, mas tememos as alturas.
Para voar é preciso ter coragem para enfrentar o vazio,
Porque é só no vazio que o voo acontece.
O vazio é o espaço da liberdade, a ausência das certezas.
Mas, é isso que tememos: o não ter certeza.
Por isso, trocamos os voos pelas gaiolas.
As gaiolas são os lugares onde as certezas moram.

Pra Você –11.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)

Mário de Andrade


Contei meus anos e descobri que terei 
menos tempo para viver daqui 
para frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.

Sinto-me como aquele menino que
recebeu uma bacia de cerejas. As primeiras,
ele chupou displicente, mas percebendo
que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam
egos inflamados. Inquieto-me com invejosos
tentando destruir quem eles admiram,
cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis,
para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias
que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres
de pessoas, que apesar da idade cronológica,
são imaturas.

Detesto fazer acareação de desafetos
que brigaram pelo majestoso cargo de secretário
geral do coral. As pessoas não debatem conteúdos,
apenas os rótulos.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos,
quero a essência, minha alma tem pressa.

Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado
de gente humana, muito humana;
que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com
triunfos, não se considera eleita antes da hora,
não foge de sua mortalidade, caminhar perto de
coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!

Pra Você – 10.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
5º Domingo da Páscoa
Promessas!


A espiritualidade bíblica nos convida a duas posturas básicas:
Em relação ao passado, a recordação, e,
Em relação ao futuro, a abertura às promessas.
Não devemos jurar, mas prometer é diferente.
O ruim não é prometer, e sim não cumprir.
Jesus no Evangelho de hoje faz três promessas.
A primeira: “na casa do meu Pai há muitas moradas.
Se não fosse assim já vos teria dito”.
Por isso não devemos ficar perturbados, nem deixar que nosso coração
Passe por essa experiência.
A segunda promessa: “Ninguém vai ao Pai senão por mim”.
Ele é o caminho, a verdade e a vida.
Se por um lado nunca vimos o Pai, por outro, conhecemos a Jesus,
Suas palavras e suas propostas. Ele agiu e falou para os homens.
A terceira promessa: “Quem acredita em mim fará as obras que eu faço, e fará ainda Maiores do que estas".
É o Pai, e não nós, quem realiza as boas obras.
Somos apenas canais para que elas aconteçam.
Sendo assim, a liturgia deste domingo é um convite à esperança,
À superação de todo desânimo e o
Início de um processo profundo e fecundo de resiliência.
Caso tudo isso não se realize,
Certamente, um dia, poderemos cobrar dele
As promessas não cumpridas!

 

Pra Você – 09.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Ser pai e mãe
José Saramago


Filho é um ser que nos emprestaram
Para um curso intensivo
De como amar alguém além de nós mesmos,
De como mudar nossos piores defeitos
Para darmos os melhores exemplos e
De aprendermos a ter coragem.
Isto mesmo!
Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter,
Porque é se expor a todo tipo de dor,
Principalmente da incerteza de estar agindo corretamente,
E do medo de perder algo tão amado.
Perder?   Como?
Não é nosso, recordam-se?
Foi apenas um empréstimo.

Pra Você – 08.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Discurso
(Uma versão)
Bryan Dyson


       Imagine a vida como um jogo em que você esteja 
fazendo malabarismos com cinco bolas no ar. Estas são: seu 
Trabalho - sua Família - sua Saúde - seus Amigos e sua 
Vida Espiritual, e você terá de mantê-las todas no ar. 
       Logo você vai perceber que o Trabalho é como uma 
bola de borracha. Se soltá-la ela rebate e volta. Mas as 
outras quatro bolas: Família, Saúde, Amigos e Vida Espiritual, 
são frágeis como vidros. Se você soltar qualquer uma 
destas, ela ficará irremediavelmente lascada, marcada, com 
arranhões, ou mesmo quebradas, vale dizer, nunca mais será 
a mesma. 
       Deve entender isto: tem que apreciar e esforçar 
para conseguir cuidar do mais valioso. Trabalhe 
eficientemente no horário regular do escritório e deixe o 
trabalho no horário. Gaste o tempo requerido à sua família 
e aos seus amigos. Faça exercício, coma e descanse 
adequadamente. E, sobretudo... Cresça na sua vida 
interior, no espiritual, que é o mais transcendental, 
porque é eterno.
       Shakespeare dizia: “Sempre me sinto feliz, sabes 
por quê? Porque não espero nada de ninguém. Esperar sempre 
dói. Os problemas não são eternos, sempre têm solução. O 
único que não se resolve é a morte. A vida é curta, por 
isso, ame-a! Viva intensamente e recorde: 
       Antes de falar... Escute! 
       Antes de escrever... Pense!
       Antes de criticar... Examine!
       Antes de ferir... Sente! 
       Antes de orar... Perdoe!
       Antes de gastar... Ganhe!
       Antes de render... Tente de novo! 
       ANTES DE MORRER... VIVA!”

Pra Você – 07.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Oração do Abandono
Charles de Foucauld


Meu Pai,
Eu me abandono a Ti,
Faz de mim o que quiseres.
O que fizeres de mim,
Eu Te agradeço.

Estou pronto para tudo, aceito tudo.
Desde que a Tua vontade se faça em mim
E em tudo o que Tu criastes,
Nada mais quero, meu Deus.

Nas Tuas mãos entrego a minha vida.
Eu Te a dou, meu Deus,
Com todo o amor do meu coração,
Porque Te amo
E é para mim uma necessidade de amor dar-me,
Entregar-me nas Tuas mãos sem medida
Com uma confiança infinita
Porque Tu és... 
Meu Pai!

Pra Você – 06.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Oração de São Francisco
Pe. Irala


Senhor, fazei-me instrumento da vossa paz
Onde houver ódio, que eu leve o amor
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão
Onde houver discórdia, que eu leve a união
Onde houver dúvida, que eu leve a fé
Onde houver erro, que eu leve a verdade
Onde houver desespero, que eu leve a esperança
Onde houver tristeza, que eu leve alegria
Onde houver trevas, que eu leve a luz
Ó mestre, fazei que eu procure mais
Consolar que ser consolado
Compreender que ser compreendido
Amar que ser amado
Pois, é dando que se recebe
É perdoando que se é perdoado
E é morrendo que se vive
Para a vida eterna
Ó mestre, fazei que eu procure mais
Consolar que ser consolado
Compreender que ser compreendido
Amar que ser amado
Pois, é dando que se recebe
É perdoando que se é perdoado
E é morrendo que se vive
Para a vida eterna!

Pra Você – 05.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Para a Vida ser sempre mais – II


19.  Faça as pazes com o seu passado para não estragar o seu presente;
20.  Ninguém comanda a sua felicidade a não ser você;
21.  Tenha consciência que a vida é uma escola, e que está nela para aprender. Problemas são apenas parte, que aparecem e se desvanecem como uma aula de álgebra, mas as lições que se aprende, perduram uma vida inteira;
22.  Sorria e gargalhe mais;
23.  Não necessite ganhar todas as discussões. Aceite também a discordância;
25.  Entre mais em contato com sua família;
26.  Dê algo de bom aos outros diariamente (lembre-se do projeto dos “três presentes”);
27.  Perdoe a todos por tudo. É assim que se vence o vencedor;
28.  Passe tempo com pessoas acima de 70 anos e abaixo de 6;
29.  Tente fazer sorrir pelo menos três pessoas por dia;
30.  Não te diz respeito o que os outros pensam de você;
31.  O seu trabalho não tomará conta de você quando estiver doente.
Os seus amigos o farão.
32.  Faça o que é correto;
33.  Desfaça-se do que não é útil, bonito ou alegre;
34.  DEUS cura tudo;
35.  Por muito boa ou má que a situação esteja, ela mudará...
36.  O melhor ainda está por vir;
37.  Quando acordar vivo de manhã, agradeça a Deus pela graça;
38.  Mantenha seu coração sempre feliz;
39. Compartilhe essas ideias com quem você quer bem;
40. O que você quer acrescentar a essas indicações?

 

Pra Você –04.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)

Oração a Maria - II


«À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus».
Papa Francisco
Na dramática situação atual, carregada de sofrimentos e angústias que oprimem o mundo inteiro, recorremos a Vós, Mãe de Deus e nossa Mãe, refugiando-nos sob a vossa proteção.
Ó Virgem Maria, volvei para nós os vossos olhos misericordiosos nesta pandemia do coronavírus e confortai a quantos se sentem perdidos e choram pelos seus familiares mortos e, por vezes, sepultados duma maneira que fere a alma. Sustentai aqueles que estão angustiados por pessoas enfermas de quem não se podem aproximar, para impedir o contágio. Infundi confiança em quem vive ansioso com o futuro incerto e as consequências sobre a economia e o trabalho.
Mãe de Deus e nossa Mãe, alcançai-nos de Deus, Pai de misericórdia, que esta dura prova termine e volte um horizonte de esperança e paz. Como em Caná, intervinde junto do vosso Divino Filho, pedindo-Lhe que conforte as famílias dos doentes e das vítimas e abra o seu coração à confiança.
Protegei os médicos, os enfermeiros, os agentes de saúde, os voluntários que, neste período de emergência, estão na vanguarda arriscando a própria vida para salvar outras vidas. Acompanhai a sua fadiga heroica e dai-lhes força, bondade e saúde.
Permanecei junto daqueles que assistem noite e dia os doentes, e dos sacerdotes que procuram ajudar e apoiar a todos, com solicitude pastoral e dedicação evangélica.
Virgem Santa, iluminai as mentes dos homens e mulheres de ciência, a fim de encontrarem as soluções justas para vencer este vírus.
Assisti os Responsáveis das nações, para que atuem com sabedoria, solicitude e generosidade, socorrendo aqueles que não têm o necessário para viver, programando soluções sociais e econômicas com clarividência e espírito de solidariedade.
Maria Santíssima tocai as consciências para que as somas enormes usadas para aumentar e aperfeiçoar os armamentos sejam, antes, destinadas a promover estudos adequados para prevenir catástrofes do género no futuro.
Mãe amadíssima, fazei crescer no mundo o sentido de pertença a uma única grande família, na certeza do vínculo que une a todos, para acudirmos, com espírito fraterno e solidário, a tanta pobreza e inúmeras situações de miséria. Encorajai a firmeza na fé, a perseverança no serviço, a constância na oração.
Ó Maria, Consoladora dos aflitos, abraçai todos os vossos filhos atribulados e alcançai-nos a graça que Deus intervenha com a sua mão omnipotente para nos libertar desta terrível epidemia, de modo que a vida possa retomar com serenidade o seu curso normal.
Confiamo-nos a Vós, que resplandeceis sobre o nosso caminho como sinal de salvação e de esperança, ó clemente, ó piedosa, ó doce Virgem Maria.
Amém.

 

Pra Você –03.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)

4º Domingo da Páscoa
A Porta do Redil


Mais a frente, no versículo 11, Jesus irá dizer que é o Bom Pastor.
Por enquanto, ele diz ser a porta, a porta do redil.
Vamos entender e valorizar essa afirmação, não menos importante.
Naquele tempo era comum um pastor ficar com seu rebanho durante o dia,
Quando chegava a noite, precisava descansar, porém, ao mesmo tempo,
Oferecer segurança ao seu rebanho.
Então, o pastor levava suas ovelhas a um redil (curral),
Juntamente com outros pastores e outros rebanhos.
Estes passavam a noite juntos em segurança,
Enquanto aqueles desfrutavam do merecido repouso.
Quando chegava o outro dia, o pastor ia ao encontro de seu rebanho.
Ele chamava as ovelhas por seu nome, e elas conheciam sua voz.
Certamente, por todos esses motivos, havia alegria de ambas as partes.
Por isso, Jesus diz ser a porta, ou seja, aquela que se abre para acolher
Quando a noite e a escuridão chegam.
Mas, aquela que na manhã seguinte também se abre para proporcionar
A liberdade àquelas que haviam sido protegidas.
Caso alguém tentasse entrar no redil que não fosse pela porta,
Seria ladrão, assaltante. As ovelhas também não reconheceriam sua voz.
Hoje, quais são as portas que não se abrem nos momentos de escuridão
Para acolher e proteger
O povo sofrido e abandonado, que passa por tantos desafios?
Hoje, quais são as portas que não se abrem para proporcionar liberdade, e prendem,
Prometendo vida que não podem dar e usam o nome de Jesus para enganar

Pra Você –02.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Autoria desconhecida


Findou Abril.
Um ABRIL que não abriu....
Um ABRIL que tudo fechou: portas, comércios, estradas,
fronteiras, economia , esporte.
Um ABRIL que a natureza se abriu aliviada ...
Um ABRIL... que se diferenciou...
Um ABRIL que estremecemos, e, em seguida,
decepcionamos com ídolos  criados..
Um ABRIL que abriu as portas da ganância pelo poder em detrimento da necessidade do povo.
Onde a imoralidade política se escancarou..
Um ABRIL que “lives” se abriram para o show ser em sua casa..
Um ABRIL que a  igreja  não abriu,
mas incontáveis igrejas se abriram em casa,
Que se tornaram verdadeiramente um lar.
Um ABRIL que a  escola não abriu, e os pais puderam  conhecer  seus filhos
e filhos resgataram os pais.
Um ABRIL que os mais velhos se fecharam em casa, mas tiveram oportunidade de contar histórias pelo celular...
Um ABRIL que se pensarmos ...
ABRIU as portas...escancarou escandalosamente as portas do coração da solidariedade, da caridade,  da paciência, da resiliência, da oração e da Fé.
Um ABRIL que abriu nossa alma e a coloriu de uma única  certeza...
A certeza da  incerteza.
Que tudo... passa...
Menos o que verdadeiramente somos..
Que nossa essência  é...  SER HUMANO.
Então...
caminhemos...
QUE ABRAM-SE AS PORTAS DE MAIO...

Pra Você –01.05.20
(Em tempos de Páscoa e Crise Sanitária)
Oração a Maria - I
Papa Francisco


Ó Maria,
Vós sempre resplandeceis sobre o nosso caminho
como um sinal de salvação e de esperança.
Confiamo-nos a Vós, Saúde dos Enfermos,
que permanecestes, junto da cruz, associada ao sofrimento de Jesus,
mantendo firme a vossa fé.
Vós, Salvação do Povo Romano,
sabeis do que precisamos
e temos a certeza de que no-lo providenciareis
para que, como em Caná da Galileia,
possa voltar a alegria e a festa
depois desta provação.
Ajudai-nos, Mãe do Divino Amor,
a conformar-nos com a vontade do Pai
e a fazer aquilo que nos disser Jesus,
que assumiu sobre Si as nossas enfermidades
e carregou as nossas dores
para nos levar, através da cruz,
à alegria da ressurreição. Amém.
À vossa proteção, recorremos, Santa Mãe de Deus;
não desprezeis as nossas súplicas na hora da prova,
mas livrai-nos de todos os perigos,
ó Virgem gloriosa e bendita.

Pra Você  42

Para a Vida ser sempre mais – I

1.  Beba muita água;
2.  Coma mais o que nasce em árvores e plantas, e menos comida produzida em fábricas;
3.  Viva com os 3 “Es”:  Energia, Entusiasmo e Empatia;
4.  Arranje tempo para rezar;
5.  Faça atividades que ative seu cérebro ;
6.  Leia mais livros do que leu em 2019;
7.  Sente-se em silêncio pelo menos 10 minutos por dia;
8.  Durma o suficiente para um sono restaurador;
9.  Faça caminhadas de 20-60 minutos por dia, e enquanto caminha, sorria;
10.  Não compare a sua vida a dos outros. Ninguém faz ideia de como é a caminhada de cada um;
11.  Não tenha pensamentos negativos ou coisas de que não tenha controle;
12.  Não se exceda. Mantenha-se nos seus limites, ultrapassando-os com leveza;
13.  Não se torne demasiadamente sério;
14.  Não desperdice a sua energia preciosa em fofocas;
15.  Sonhe mais, principalmente em comunidade;
16.  Inveja é uma perda de tempo. Pergunte a Dante Alighieri na Divina Comédia;
17.  Supere questões do passado. Não lembre seu parceiro dos seus erros. Isso destruirá a sua felicidade presente. Agradeça pelo seu amadurecimento;
18.  A vida é curta demais para odiar alguém;

Pra Você 41

Caçador de Mim
Milton Nascimento


Por tanto amor
Por tanta emoção
A vida me fez assim
Doce ou atroz
Manso ou feroz
Eu caçador de mim
Preso a canções
Entregue a paixões
Que nunca tiveram fim
Vou me encontrar
Longe do meu lugar
Eu, caçador de mim
Nada a temer senão o correr da luta
Nada a fazer senão esquecer o medo
Abrir o peito a força, numa procura
Fugir às armadilhas da mata escura
Longe se vai
Sonhando demais
Mas onde se chega assim
Vou descobrir
O que me faz sentir
Eu, caçador de mim

Pra Você 40

Roberto  Romano

QUEM NÃO MANDA EM NINGUÉM,
E
É LIVRE,
SOFRE DESPREZO DE QUEM SÓ
OBEDECE
E SE JULGA SUPERIOR!

 

Pra Você 39

O Coração tem certas razões que a própria razão desconhece
André Carlos Massolini


A razão quer falar, o coração quer escutar;
A razão quer mandar, o coração quer partilhar;
A razão quer definir, o coração quer sentir;
A razão quer calcular, o coração quer arriscar;
A razão quer determinar o futuro, o coração quer gozar o presente;
A razão quer regras, o coração quer espontaneidade;
A razão quer medir as palavras, o coração expressa-as sem medo;
A razão quer manipular, o coração quer apenas se expressar sem jogar.
(Acrescento: por que não uma razão cordial?)

Pra Você 38

3º Domingo da Páscoa
Os Discípulos de Emaús


Obedientes ao nosso instinto de sobrevivência
Temos uma tendência, consciente ou não, de buscar caminhos de fuga:
Ilusões, ativismo, drogas, bebida em excesso.
Cada um conhece suas válvulas de escape.
Quanto maior o desafio, maior a tendência de fuga.
Os discípulos de Jesus, ao verem sua condenação e morte,
Saíram de Jerusalém e foram para Emaús,
Da “Capital” para a “aldeia”.
Local que, curiosamente, dista cerca de 11 km de Jerusalém.
(Lembrar que 12 na Bíblia é o número que significa o que é completo).
Partir sem ter um motivo é fuga, cansaço que nada acrescenta.
Porém, no meio do caminho Jesus os alcança,
De forma sóbria, como peregrino, de tal sorte que eles não o reconhecem.
Jesus não os repreende, não os castiga, nada impõe. Propõe.
Partilha a palavra e, depois, o pão, ou seja,
Os alimenta de várias formas, dando, como sempre, a si mesmo.
Nutridos, os discípulos agora são capazes de reconhecer o mestre, o amigo.
Como a amizade fortalece e faz bem!
Os olhos se abrem, depois de terem percebido que o coração também ardeu.
Os discípulos retornam à Jerusalém.
É sempre preciso voltar,
Se não física, pelo menos simbolicamente,
Às origens, às fontes, a Deus.
Tudo isso é experiência genuína de ressurreição.
Pe. Rogério Ferreira

Pra Você 37

Os obstáculos te mantem forte.
As mágoas te mantem humano.
Os choques te mantem humilde.
Tu és muito especial!
(mais uma pista Dele!)

 

Pra Você 36

VENI, CREATOR SIRITUS!
Pe. Pedro Arrupe


Senhor, necessito de teu Espírito!
Daquela força divina que transformou tantas personalidades humanas, tornando-as capazes de gestos extraordinários.
Dá-me esse Espírito que, vindo de Ti e indo a Ti, Santidade infinita, é um Espírito Santo.
Os juízes de Israel, sem poder opor resistência, simples filhos de aldeões, Sansão, Gedeão, Saul... foram mudados por Ti, de repente e totalmente. Não só se tornaram capazes de gestos excepcionais de audácia ou força, mas ainda se viram dotados de nova personalidade e se sentiram capazes de realizar a missão tão difícil de livrar um povo. Tua ação neles foi interior, embora fosse descrita às vezes, com imagens que sublinham um influxo teu repentino e extraordinário. Tu te lançaste sobre Sansão como a ave de rapina sobre a presa, revestiste Gedeão com uma armadora.
Sentindo a dificuldade de minha missão, eu desejaria uma ação tua muito profunda em minha alma; que não só descesses, mas inda, pousasse sobre mim, e me concedesses o tesouro dos dons que repartiste a tantos de teus eleitos: de sabedoria e inteligência, como a Bezalel e a Salomão, de Conselho e de força, como a Davi; de conhecimento e de temor de Deus, que foi o ideal de tantas almas santas de Israel.
Dá-me o que deste aos profetas: que, embora meu pequeno ser proteste, me veja forçado a falar por pressão soberana. Aquela palavra que vinha deles, mas não nascera deles, era uma palavra tua, de teu Espírito que os enviava e não só limitava a suscitar uma nova personalidade ao serviço da ação, mas ainda explicava o sentido e o segredo dela; palavra de teu Espírito que não é somente inteligência e força, mas também conhecimento de Deus e de seus caminhos.
Dá-me, pois, a força com a qual não somente abriste aos profetas tua palavra até revelar-lhes tua glória, mas ainda os mantiveste de pé para falar ao povo e anunciar-lhe sua sorte.
Com aquela voz que Tu fazes gemer no fundo do meu ser, peço a efusão copiosa de Ti mesmo, semelhante à chuva abundante que devolve a vida à terra sedenta, e como sopro de vida que vem vivificar os ossos ressequidos.

 

Pra Você 35

É Proibido
Pablo Neruda


É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo.

Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos.

Não tentar compreender os que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam.

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino.

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar.

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas delas valem mais que a sua.

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida.

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade.

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

 

Pra Você 34

Mistério
Pe. Zezinho 


Não te vejo, não te toco, não te sinto
Nem te escuto a me falar.
Não conheço teu semblante ou tua imagem,
Nem te posso imaginar.
Não te entendo nem percebo a
Dimensão do infinito que Tu és.
Não sei onde habitas,
Não sei aonde moras, nem sei te descrever.
Não sei falar bonito, quando és tão infinito,
E eu tão incapaz de te entender.
Infinito, onipotente, onipresente.
Criador e provedor.
Imutável, justo amigo e Pai Clemente.
Deus da luz e Deus do amor.
Não percebo, nem vislumbro a
Dimensão do infinito onde estás.
Não sei aonde vamos,
Não sei onde estamos,
Só sei que estás no Céu.
Não sei imaginar-te na minha pobre arte
Só sei que és minha luz,
Que és nosso Deus.

Pra Você 33

O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza
O coração enfarta quando chega a ingratidão.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.

As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Preste atenção!
O plantio é livre, a colheita, obrigatória ... Preste atenção
no que você está plantando, pois será  a mesma coisa que irá
colher!!!

 

Pra Você 32

“Autobiografia em Cinco Capítulos"

 

1- Ando pela rua
Há um buraco fundo na calçada
Eu caio
Estou perdido... sem esperança.
Não é culpa minha.
Leva uma eternidade para encontrar a saída.
2- Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada
Mas finjo não vê-lo.
Caio nele de novo.
Não posso acreditar que estou no mesmo lugar.
Mas não é culpa minha.
Ainda assim leva um tempão para sair.
3- Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada
Vejo que ele ali está
Ainda assim caio... é um hábito.
Meus olhos se abrem
Sei onde estou
É minha culpa.
Saio imediatamente.
4- Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada
Dou a volta.
5- Ando por outra rua.

O LIVRO TIBETANO DO VIVER E DO MORRER
 

Pra Você 31

2º Domingo da Páscoa
Domingo da Divina Misericórdia


Há duas maneiras básicas de vivenciar os relacionamentos:
O primeiro, pautado na Imposição e o segundo, na Proposição.
Quando impomos, queremos obediência.
Caso não aconteça, usamos de coerção, e punimos.
Quando propomos, queremos que haja confiança.
Caso isso não aconteça, usamos de misericórdia.
Jesus ressuscitado, em meio aos discípulos
Assustados, com as portas fechadas,
Entra, pondo-se no meio deles.
Deseja-lhes paz, e os envia em missão.
Os amigos contam a Tomé o ocorrido.
Este não acredita.
Mais do que na possibilidade da ressurreição,
Não acredita no relato e testemunho da comunidade.
Quer ter uma experiência diferenciada, particular,
Capaz de satisfazer suas necessidades e caprichos.
Oito dias se passaram,
Os quais devem ter sido os de mais expectativas na vida de Tomé.
Nada aparentemente acontece.
No domingo seguinte,
Quando todos estavam reunidos
Jesus volta a aparecer, Não condena Tomé,
Apenas declara que ele acreditou porque viu,
Felizes os que creem sem terem visto.
Jesus usou de misericórdia com Tomé.
Pe. Rogério Ferreira

 

Pra Você 30

Santo Inácio de Loyola
OFERECIMENTO DE SI MESMO


Recebei, Senhor, minha liberdade inteira,
Recebei minha memória, minha inteligência
E toda minha vontade.
Tudo o que tenho ou possuo de vós me veio,
Tudo vos devolvo e entrego sem reserva
Para que a vossa vontade tudo governe.
Dai-me somente vosso amor e vossa graça
E nada mais peço,
Pois já serei bastante rico.

 

Pra Você 29

Provérbios atuais e necessários
“Deus não escolhe pessoas capacitadas. Ele capacita os escolhidos.”
“Um com Deus é maioria.”
“Devemos orar sempre, não até Deus nos ouvir, mas até que possamos ouvir a Deus.”
“Nada está fora do alcance da oração, exceto o que está fora da vontade de Deus.”
“Não temas a pressão, lembre-se que é ela que transforma o  carvão em diamante.”
”Perdoar é a melhor maneira de ser perdoado”
”O mais importante não é encontrar a pessoa certa, e sim ser a pessoa certa.”
”Moisés gastou:
40 anos pensando que era alguém; 40 anos aprendendo que não era ninguém e 40 anos descobrindo o que Deus pode fazer com um NINGUÉM.”
”A fé ri das impossibilidades.”
”Não confunda  a vontade de DEUS, com a permissão de DEUS.”
“Nem tudo o que acontece é de Sua vontade, mas nada acontece sem Sua permissão.”
”'Não diga a DEUS que você tem um grande problema. Mas diga ao problema que você tem um grande DEUS.”
“Quando cada um é por si, Deus é por ninguém.”

Pra Você 28

Perguntaram a um sábio:
O que mais te surpreende na humanidade?

E ele respondeu:

“Os homens.

Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois

Perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente.
De tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro,

E vivem como se nunca fossem morrer, e

morrem como se nunca tivessem vivido.”

 

Pra Você 27
Congresso Internacional do Medo
Carlos Drummond de Andrade


Provisoriamente não cantaremos o amor,

Que se refugiou no mais baixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços.
Não cantaremos o ódio,  porque este não existe.
Existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro.

O medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,

O medo dos soldados, o medo das mães, o medo das Igrejas.
Cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas.
Cantaremos o medo da morte e o medo do depois da morte.
Depois morreremos de medo.
E, sobre nossos túmulos, nascerão flores amarelas e medrosas.

 

Pra Você 26

Mandamentos da Serenidade  

Papa São João XXIII

 

1 - Só por hoje...

tratarei de viver exclusivamente este meu dia, sem querer resolver os problemas da minha vida, todos de uma vez.
2 - Só por hoje...
terei o máximo cuidado com o meu modo de tratar os outros:
delicado nas minhas maneiras; não criticar ninguém;
não pretenderei melhorar ou disciplinar ninguém, senão a mim mesmo.

3 - Só por hoje...

me sentirei feliz com a certeza de ter sido criado para ser feliz, não só na vida eterna, mas também neste mundo.
4 - Só por hoje...
me adaptarei às circunstâncias, sem pretender que as circunstâncias se adaptem todas aos meus desejos.
5 - Só por hoje...
dedicarei dez minutos do meu tempo a uma boa leitura, lembrando-me de que assim como é preciso comer para sustentar o meu corpo, assim também a leitura é necessária para alimentar a vida da minha alma.
6 - Só por hoje...
praticarei uma boa ação sem contá-la a ninguém.

7 - Só por hoje...

farei uma coisa que não gosto e, se for ofendido nos meus sentimentos, procurarei que ninguém o saiba.

8 - Só por hoje...
farei um programa bem completo do meu dia. Talvez não o execute perfeitamente, mas, em todo caso, vou fazê-lo. Guardarei bem duas calamidades:  da pressa e da indecisão.
9 - Só por hoje...
ficarei bem firme na fé de que a Divina Providência se ocupa de mim, mesmo se existisse somente eu no mundo e ainda que as circunstâncias manifestem o contrário.
10 - Só por hoje...

não terei medo de nada; em particular: não terei medo de desfrutar do que é belo, e não terei medo de crer na bondade.

Pra Você 25
EU NÃO TENHO MAIS MEDO DE NADA

Patriarca Atenágoras I


A mais dura das provas é a guerra contra si mesmo.
É preciso chegar até desarmar-se.
Tenho lutado nesta guerra durante anos.
Foi terrível. Mas, hoje estou desarmado.
Não tenho mais medo de nada, porque o amor lança fora o temor.
Estou desarmado da vontade de ter razão, de justificar-me,
Desqualificando os outros.
Não estou mais em guarda, à defensiva,
Ciumentamente crispado sobre minhas riquezas.
Acolho e partilho.
Não estou apegado, particularmente às minhas ideias, aos meus projetos.
Se alguém me apresenta outras melhores, aliás, não só melhores,
Mas, simplesmente boas, aceito-as sem mágoa.
Renunciei ao comparativo.
Aquilo que é bom, verdadeiro, real, é sempre o melhor para mim.
Por isso, eu não tenho mais medo.
Quando não se tem mais nada, não se tem mais medo.
Se estivermos desarmados, despojados, abertos ao homem-Deus,
Que faz novas todas as coisas, ele apaga o passado ruim,
E nos traz um tempo novo, onde tudo é possível.
“Abençoada Páscoa!”

 

Pra Você 24

Ressurreição do Senhor

O Evento

Era o primeiro dia da Semana. Uma nova criação?!
Maria Madalena, sem saber de nada, enquanto  “ainda estava escuro”, vai até o túmulo e viu a pedra removida. Sai correndo e foi se encontrar com Simão Pedro e com o outro discípulo, aquele que Jesus amava. Sua impressão é que haviam roubado o corpo do mestre.
João chega primeiro. É mais novo. Tem mais fôlego. Não entra. A prerrogativa era de Pedro, o líder do grupo. Este entra, percebe alguns detalhes deixados por Jesus, coisas de amigo, e começa a desconfiar do seu significado: as faixas de linho no chão, e o pano que envolvera a cabeça estava enrolado e colocado num lugar à parte.

É preciso ir mais fundo, aonde a maioria não vai. É preciso entrar nos túmulos e fazer a experiência do ressuscitado. Ousadia de quem acredita.

As Consequências
Jesus havia pedido ao Pai que os perdoasse, pois não sabiam o que estavam fazendo. A ressurreição é a resposta amorosa ao pedido feito na cruz.
Durante quarenta dias – tempo bíblico que significa preparação, houve uma experiência diferente de encontros. O coração ardeu, as portas se abriram, e aqueles homens medrosos e inseguros viram suas vidas se transformando dia após dia.

A alegria foi tomando conta, e a partilha aconteceu como consequência natural. Deus sempre prepara novidades, dando-nos muito mais do que ousamos pedir e merecemos.

Hoje
A ressurreição precisa ser vivenciada no coração, mas também na vida comunitária, na sociedade como um todo e no cuidado da “casa comum”.
Vencer o pecado e o medo, deixar se encantar com as coisas do alto, extasiar-se com a vida e, sobretudo, com Aquele que é a fonte de toda vida.

Páscoa é passagem e libertação. É a vitória da vida sobre a morte, da alegria sobre a tristeza. É permitir que cada novo dia se torne domingo, o primeiro de cada semana.

Para refletir
Como foi sua Semana Santa?
Como será sua Páscoa?
Pe. Rogério Ferreira              

 

Pra Você 23

Sábado Santo – A Vigília

O Evento


Embora Jesus tenha ressuscitado ainda na cruz, pelo menos ele prometeu ao bom ladrão que naquele mesmo dia estariam juntos no Paraíso (Lc 23,43), foi necessário esperar o terceiro dia para que a comunidade dos discípulos tomasse conhecimento do ocorrido.
Deus se revela na história, com categorias em que o humano possa compreender e, de alguma forma, aplicar ao seu bem viver, ao bem dos irmãos e à sua salvação.

Assim, entre a ressurreição e o conhecimento do ocorrido, houve um tempo de espera, de silêncio e de meditação. Mais uma vez o número três é vivenciado. O número que representa confirmação e possibilidade de esclarecimento de um possível mal-entendido.

As Consequências
Como fica o coração do humano nesse momento?  E a vida comunitária?
Vagueiam entre a decepção e a confiança, entre o sentimento de ter sido enganado e a vitória pela esperança. Entre a deserção e a permanência. Cada um vai alimentando o coração com e como pode.  Uns, com sua bagagem existencial e outros com suas projeções, alguns com sua fé, outros com os seus medos. Deus vai sondando o íntimo, o interior de cada pessoa. Sendo permitido, Ele será a luz.

Em tudo isso o silêncio é imprescindível. Todo o ruído é visto como distração e alienação. É um não querer estar só, e rechaçar seus dramas, seus desapontamentos, suas expectativas, mas também sua capacidade de crer e confiar, amar enquanto tudo é ainda é transitório.

Hoje
Fazemos muito barulho. No fundo temos medo de ouvir e descobrir a beleza daquilo que vai além da lógica, além do que a visão e o intelecto são capazes de perceber e não saber o que fazer, que rumo tomar. Estamos na era das certezas, do comprovado, do rigorosamente científico e do confortavelmente desejado.

O silêncio é tido como artigo de luxo num mundo que tem pressa. A espera como incapacidade dos indecisos. A fé como apoio dos mancos.

Para refletir
Jesus poderia, uma vez que ressuscitou na cruz, ter gerado um espetáculo naquele momento. Seus adversários iriam ficar completamente atônitos. Não haveria margem para a dúvida. Por que não o fez?
Qual a importância do tempo transcorrido entre a ressurreição (evento) e a sua manifestação? Por que esperar o Domingo e se manifestar a uma “simples” mulher?
Ler e meditar o salmo 31 (30): “Em ti, Senhor, me refugiei...”
Pe. Rogério Ferreira             

 

Pra Você 22

Sexta-feira Santa  - Paixão e Morte do Senhor

O Evento


A crucificação foi provavelmente criada pelos persas e adotada pelos romanos em todo o império.

Por sua vez, o livro de Deuteronômio diz: “quando alguém tiver cometido um crime capital e for executado numa árvore, o cadáver não deve permanecer ali durante a noite.... pois quem foi suspenso é maldição  de Deus...” (Dt 21, 23)

Somente os maiores malfeitores estavam sujeitos a tal pena. Deveriam servir de exemplo para que seus nomes fossem banidos para sempre.

As Consequências
Os homens suspeitam que a morte é palavra final sobre todos. Contra ela não há remédio.
Deus, “que é Senhor dos vivos e não dos mortos”, sabe que a morte é transitória, apenas passagem, e a palavra final sobre seus filhos é a vida. Não há remédio!

Se a morte fosse tão terrível o Pai teria poupado seu filho de passar por esse momento. Evitaria o vexame, o escândalo. Jesus teme não a sua morte, ele está no Pai, mas, teme a causa de sua morte, a insensibilidade dos homens em relação às oportunidades de Deus.

Hoje
Jesus, contudo, até na cruz é senhor. Sabe ouvir e acolher o bom ladrão. Sabe pedir perdão ao Pai por seus algozes, pois “eles não sabem o que fazem”. Um homem íntegro, plena harmonia.
O problema não é a morte, mas por que, em quais circunstâncias as pessoas morrem. A vida fica desgastada, barata demais, e outros valores como a economia acima da vida, os interesses políticos acima do bem estar dos pobres, o sucesso a qualquer preço acima do serviço que deveria ser prestado, vão ganhando espaço e força.

Definitivamente, o problema não é a morte, mas a banalização da vida. A superficialidade dada à existência.

Para refletir
Por que Jesus, aparentemente tão frágil, pobre, sem exército, causou tanto incômodo na sociedade do seu tempo?
Por que os cristãos, mesmo em grande número, já não incomodam mais?
Por que temos tanto medo da morte, embora saibamos que Deus, em qualquer circunstância, está junto de nós?

Ler e meditar o Salmo  22 (23)

Pe. Rogério Ferreira

 

Pra Você 21
Quinta-feira Santa

Ceia d