ORAÇÃO EM LÍNGUAS

  • É um dom do Espírito Santo chamado Glossolalia:

Γλωσσα – língua

Λαλέω – falar

 

 

  • A base mais conhecida e confiável sobre este dom é o que nossa fala São Paulo na carta aos Coríntios 14, 1 -25. Vejamos algumas afirmações:

 

1.      Esse dom existe, é real, já manifestado naquela época, na Igreja Primitiva. É uma língua sem sintaxe, não própria de uma determinada cultura;

 

2.      São Paulo tinha esse dom e falava assim (18);

 

3.      Quem fala assim não fala aos homens, mas sim a Deus (2);

 

4.      Porém, o dom da profecia deve ser priorizado (3);

 

5.      O que fala em línguas edifica a si mesmo, aquele que profetiza, edifica a Igreja (4);

 

6.      O que profetiza é maior do quer aquele que fala em línguas (5);

 

7.      Quando oro em línguas minha mente não participa... vou orar com o meu espírito, mas também com minha mente (Deus nos fez racionais. Não devemos frustrar o seu plano a nosso respeito) (15);

 

8.      Quem fala em línguas serve de sinal para os que não creem...  quem profetiza é sinal para os que creem (22);

 

9.      E ainda no versículo 27: que façam em turno de duas ou três pessoas...  e que haja um intérprete.  

 

10.  Por fim: “atualmente permanece as três: fé, esperança e caridade. Mas a maior delas é a caridade!” (1 Cor 13,13)